Home > Destaque > Amy Winehouse: Uma das mais belas vozes que se calou

Amy Winehouse: Uma das mais belas vozes que se calou

13 de setembro de 2016, por Natalia Yamazaki
Música
Amy Winehouse

Maquiagem, cabelo, bebidas e drogas: tudo em excesso. O timbre grave em notas melancólicas fez da londrina filha de um taxista, uma grande diva do soul. Amy Jade Winehouse escreveu sua história em meio a muitas polêmicas e confusões, e é claro, em frente a câmeras e holofotes do mundo todo.

Infância e adolescência

A cantora inglesa nasceu no dia 14 de setembro de 1983 – completaria nessa quarta-feira 33 anos – em Southgate, bairro de Londres. Nascida em uma família judia e de tradição musical ligada ao jazz, Amy Winehouse cresceu ouvindo Billie Holiday e Etta James, grandes vozes do jazz e blues.

Em sua infância, presenciava a infidelidade de seu pai, o que acarretou em um divórcio quando ela tinha apenas 9 anos. Com a mesma idade começou a frequentar a escola de artes Sylvia Young, influenciada por sua avó cantora, porém, um ano depois, foi expulsa por indisciplina e por colocar um piercing no nariz.

Aos dez anos, fundou uma banda de rap amadora chamada ‘Sweet n Sour’. Aos dezesseis, Amy já se apresentava cantando e tocando guitarra em pequenos bares e pubs com seu amigo Tyler James, que enviou fitas demos com composições próprias dela para a gravadora Island Records. Os produtores musicais se impressionaram com seu talento, convidando-a, em 2002, para um teste vocal em sua gravadora.

Amy Winehouse

Capa do primeiro álbum de Amy Winehouse (Foto: Reprodução)

Frank – o primeiro álbum

2003 foi o ano de estreia de seu primeiro álbum: Frank, com todas as músicas de sua autoria. O primeiro trabalho profissional da estrela rendeu várias críticas positivas. Dentre elas, a BBC ressaltou na época: “O CD é liricamente fresco e intransigente. Esse é o primeiro lançamento de Amy e pressagia um bom futuro para ela. Se isso é o que a moça é capaz de fazer numa idade tão precoce, deve ser bastante certo que será o primeiro de uma longa fila de lançamentos bem elaborados, modernos e irreverentes”.

“Back to Black” – o segundo álbum e o seu reconhecimento

O segundo álbum Back to Black saiu em 2006, contendo as músicas mais famosas da britânica, como Rehab, You Know I’m No Good e Back to Black, que intitula o álbum. Em 2008, recebeu a IFPI de disco de platina. Com um milhão de exemplares vendidos na Europa, impulsionou as vendas nos Estados Unidos, chegando a mais de 307 mil cópias vendidas. Dentre as diversas premiações que foi indicada e venceu, destacam-se Brit Awards, Echo Awards e Grammy Awards.

Estilo

O estilo pin-up rebelde também chamava a atenção. Um delineado nos olhos que quase chegavam às sobrancelhas, um batom vermelho e várias tatuagens ‘maquiavam’ seu corpo. O penteado beehive, desenvolvido em 1961 por Margareth Vinci Heldt, foi inspiração para a cantora. Havia um exagerado volume no topo de sua cabeça. As roupas também acompanhavam seu estilo retrô: vestidos justos ou mais soltos no quadril, sempre acompanhados por cintos que marcavam a cintura. No seu estilo mais básico adorava usar regata branca e calça jeans.

Amy

Amy com seu estilo pin-up rebelde (Foto: Reprodução)

Polêmicas

Enquanto os holofotes do sucesso profissional viam Winehouse se aproximar, a vida pessoal decolava céu abaixo. As polêmicas envolvendo seu nome por porte ilegal de substâncias tóxicas, dependência alcoólica e idas e vindas a clínicas de reabilitação estampavam tabloides do mundo todo. Além do conturbado casamento com Blake Fielder-Civil, que durou apenas 3 anos.

Amy

Amy com seu visual mais básico (Foto: Reprodução)

Morte

No dia 23 de julho de 2011, a voz de Amy se calou. Um acontecimento esperado, mas não aceito pela família, amigos e fãs: a morte precoce da cantora inglesa em sua própria casa, em Londres, comoveu a todos. Três dias após seu falecimento, uma cerimônia fúnebre foi realizada no cemitério Edgwarebury, com a presença de familiares e amigos íntimos, seguindo os preceitos da religião judaica. A causa só foi constatada no dia 26 de outubro do mesmo ano, por consumo abusivo de álcool após um período de abstinência.

Com apenas 8 anos de carreira e 27 anos de idade, Amy Winehouse abalou o universo musical. A cantora que já avisava ser encrenca em suas músicas, não se ateve a uma encrenca maior: a dependência de álcool e drogas que provocaria sua morte brevemente. Mas é como uma de suas músicas dizia: “Nós nos despedimos apenas com palavras…”, porque sua voz já foi eternizada.

Matérias Relacionadas
Amy Winehouse Tribute Brasil chega ao Teatro Fernando Torres explorando o universo da cantora soul
Projeto homenageia músicos que precisaram de apenas 27 anos de vida pra virar lenda
Cantora Miranda Kassin apresenta tributo “I Love Amy” em São Paulo
Amy
Documentário sobre Amy Winehouse estreia essa segunda na Netflix

2 Responses

  1. Lu

    Olá.
    Achei o texto agradável, sintetiza bem a trajetória de Amy Winehouse… só espero ajudar apontando que o nome da banda que ela teve antes de iniciar carreira solo não era “Sweet n Sour, as Sour”, como está escrito. O certo é “Sweet n Sour”. Esse “as Sour” aí no texto provavelmente indicava que ela era a parte “amarga” da dupla (sour), enquanto sua amiga Juliette era a parte “doce” (sweet). Por isso, Sweet n Sour.
    Só esse detalhe mesmo…

    1. Natalia

      Olá Lu!
      É verdade, o nome da banda amadora que Amy fez parte se chamava “Sweet n Sour”, já corrigimos o erro.
      Agradecemos pelo seu comentário!

Deixe um comentário

8 + 19 =