Home > Destaque > Banda de rockabilly The Spaceballs lança primeiro álbum; confira resenha

Banda de rockabilly The Spaceballs lança primeiro álbum; confira resenha

17 de maio de 2017, por Mirella Fonzar
Música

Recentemente, a banda paulistana The Spaceballs lançou seu primeiro álbum de estúdio, que leva o mesmo nome. Disponível em CD e algumas plataformas de streaming (Spotify, Band Camp, Reverbnation, Soundcloud, etc), o material traz 9 faixas de “Modern Rockabilly”, que abordam paixões, desilusões e exaltam uma vida rock ‘n roll.

A maior parte das canções foi composta, em inglês, por Ale Marinho (Guitarra e Vocal) e Marcelo Zarra (Baixo Acústico e Backing Vocals), exceto “Never Enough” (parceria com Alexandre Amaral, da Banda Jupiter2), “These Boots Are Made For Walkin” (versão para a música de Lee Hazlewood, que fez sucesso com Nancy Sinatra), “Dance Tonight” e “Lost In The Desert” (parcerias com a carioca Luiza Quental).

Aproveita e segue a gente lá também :)

Com influência do neorockabilly dos Stray Cats, o álbum conta também com elementos de hillbilly, rock ‘n roll e até surf music. A primeira faixa e música de trabalho, “I Have Fallen In Love”, remete bastante aos neorockabillies dos anos 80; enquanto a segunda, “Be My Valentine”, traz diversos toques do country tradicional, sem perder a personalidade moderna da banda.

Destaque também para “Rockabilly Ghost” (ouça abaixo), que, antes mesmo de fazer parte do álbum, já integrava a coletânea Rockabilly Made In Brazil do Universo Retrô, lançada em novembro de 2016. De maneira divertida, a letra conta a história de um amor que não deu muito certo e acabou terminando em crime, transformando o protagonista em um “Fantasma Rockabilly”, como o próprio nome da música sugere.

Além disso, o CD conta com uma versão bastante inusitada de “These Boots Are Made For Walkin’”, que mistura referências do rockabilly com guitarras bem características do rock alternativo dos anos 80. Aliás, na maioria das faixas do álbum é possível encontrar essas nítidas influências e talvez isso se explique pela “escola” de seus integrantes.

Antes de integrarem os Spaceballs, Ale Marinho (Guitarra e Vocal), Marcelo Zarra (Baixo Acústico e Vocal) e Jeff Billy (Bateria) passaram por diversas experiências. Nos anos 80, Ale tocou com Ico Ouro Preto, primeiro guitarrista da Legião Urbana e irmão de Dinho, do Capital Inicial. No ano 2000 fundou o Jupiter2, Banda de Pop-Rock autoral que atuava na cena underground da época.

Marcelo, por outro lado, é músico formado em Composição e Regência pelo Instituto de Artes da UNESP e Mestre em Sonologia pela Escola de Comunicações e Artes da USP. Participou de diversos grupos e acompanhou artistas ao longo de 20 anos de carreira, dentre eles as bandas Moonshadow, Roberto Terremoto e os Abalos Sísmicos, Simple Trio, entre outras. Já Jeff é um veterano na cena rockabilly brasileira, tendo tocado com João Suplicy and The Hound Dogs, Henry Paul Trio e outras bandas.

Foto: Divulgação

Além dos três e dos compositores convidados, o álbum contou com participações especiais de Alex Valenzi (piano em “Dance Tonight”), Anderson Dutra (violino em “Be My Valentine”), Davi Fraga (bateria nas faixas 3 e 9) e Rodrigo Caldas (bateria nas músicas 2, 4, 5, 6 e 8). Todas as músicas foram gravadas, mixadas e masterizadas por Michael Kuaker, no Wah Wah Studio, em fevereiro de 2017, exceto “Rockabilly Ghost” e “These boots are made for walkin”, gravadas por Joe Marshall no Hot Jail studio, em junho de 2016.

Na arte da capa, uma ilustração old school inspirada na música “Rockabilly Ghost”, feita na Espanha pela artista Manu Duarte, da Bwana Devil Art. As fotos do encarte são de autoria de Diorandi Nagao e Priscila Bondesan. O CD pode ser adquirido pela página da banda no facebook, pelo valor de R$ 15, ou em pontos de venda selecionados.

SERVIÇO

The Spaceballs
Facebook: https://www.facebook.com/thespaceballs/
Soundcloud: https://soundcloud.com/thespaceballs
BandCamp: https://thespaceballs.bandcamp.com
Reverbnation: https://www.reverbnation.com/thespaceballs

Matérias Relacionadas
Na luta contra o câncer de próstata, passeio de motos clássicas acontece em mais de 90 países

Deixe um comentário

quatro × 1 =