Home > Destaque > Com estreia para 10/6, peça “Alice no País do IêIêIê” traz psicodelia dos anos 60 e sons de Roberto, Erasmo e Rita Lee

Com estreia para 10/6, peça “Alice no País do IêIêIê” traz psicodelia dos anos 60 e sons de Roberto, Erasmo e Rita Lee

6 de junho de 2017, por Jane Galaxie
Música

Com estreia prevista para o dia 10 de junho, sábado, às 16h, no Theatro Net São Paulo, o espetáculo Alice no País do IêIêIê mergulha na estética psicodélica dos anos 60 ao som de Roberto Carlos, Erasmo Carlos, Rita Lee e Ronnie Von. Destinada a crianças e suas famílias, a produção musical foi livremente inspirada no clássico do escritor britânico Lewis Carroll, Alice no País das Maravilhas.

Frederico Reder convidou a premiada atriz e diretora Carla Candiotto, nome de destaque no cenário de teatro infantil, para escrever o texto e dirigir Alice no País do IêIêIê. Com 70 figurinos e 10 cenários, a peça conta com truques teatrais e efeitos especiais que prometem encantar os espectadores. Para isso, Carla reuniu sua equipe de criativos, já premiada por outros espetáculos como Simbad o Navegante, Canção dos Direitos da Criança e Cinderela lá lá lá.

A ideia de Carla era montar uma trama que encantasse os pequenos sem deixar de envolver os mais velhos, uma das marcas registradas de seu trabalho. Assim, criou o enredo costurando a história ao redor de canções que foram sucessos na voz de Roberto Carlos e Erasmo Carlos (O Calhambeque, Ele é o Bom, Meu Bem, Não Quero Ver Você Triste Assim, Negro Gato, Quero que Vá Tudo para o Inferno, Festa de Arromba), Rita Lee (Esse Tal de Rock’n’roll e Sucesso Aqui Vou Eu) e Ronnie Von (Meu Bem, versão para Girl de Lennon e McCartney).

Na Alice de Carla Candiotto, a sonhadora personagem-título é uma menina deslocada, que foge aos padrões e sofre bullying na escola. Graças ao avô, dono de lojinha de discos e amante da Jovem Guarda, ela vai ganhar uma força e ir ao encontro do que sabe fazer de melhor: cantar. Estimulada e inspirada pelo avô, Alice descobre sua coragem para cantar. Ela embarca, então, num mundo de fantasias, quando é engolida pela radio vitrola portátil e transportada para a década de 60.

A personagem, então, vai parar no auditório de um programa de TV, e encontra o Coelho/Produtor, os personagens Boyzão, Boyzinho, boyzudo e boyzeco e a Cantora Diva até chegar ao Rei. Em suas aventuras, Alice enfrenta muitos perigos até conseguir voltar para o mundo real. “Com a força e o empurrãozinho do avô, que sempre acreditou na neta, Alice se enche de coragem e determinação para ir atrás de seu desejo de cantar”, diz a diretora, completando que a peça, além de homenagear os anos 60, mostra o quanto é importante a criança receber o incentivo da família para se desenvolver.

“Nossa proposta com a encenação de Alice no País do Iê Iê Iê é a junção de dois mundos transgressores, mágicos e românticos”, conta Frederico Reder. De um lado, o clássico Alice no País das Maravilhas, um dos contos mais célebres do gênero nonsense, escrito por Lewis Carroll, em 1865. De outro lado, a Jovem Guarda, movimento que deu origem a uma nova linguagem musical, ajudando a mudar o comportamento de uma geração nos anos 60.

SERVIÇO
Alice no País do IêIêIê
Theatro Net São Paulo
Shopping Vila Olímpia, 5º andar – Rua Olimpíadas, 360 – São Paulo SP
Estreia dia 10 de junho, sábado e domingo, às 15 horas

Ingressos: A partir de R$ 45
Vendas: www.ingressorapido.com.br

1 Response

  1. Natália

    Bem fraquinha a peça, a parte mais engraçada e quando a mãe da Alice aparece no começo do espetáculo. Depois fica cansativo e sem sentido, fui com 6 crianças e todas acharam o mesmo.

Deixe um comentário

2 × dois =