Home > Destaque > Conheça as mulheres reais que inspiraram canções famosas

Conheça as mulheres reais que inspiraram canções famosas

7 de março de 2016, por Mirella Fonzar
Música

Nesta terça-feira, dia 8 de março, comemora-se o Dia Internacional da Mulher, data símbolo da emancipação feminina ocidental. É nessa ocasião, que mulheres – namoradas, mães, avós e amigas – são homenageadas por seus entes queridos. No entanto, no mundo da música, não precisa ser exatamente uma data comemorativa para prestar uma homenagem a alguma moça especial. Confira a nossa seleção com canções famosas que tiveram uma mulher como fonte de inspiração. Veja quem entrou para a lista e conheça as respectivas damas!

Peggy Sue Gerron

Peggy Sue Gerron (Foto: Reprodução)

Peggy Sue  – Buddy Holly & The Crickets

Escrita por Buddy Holly, Jerry Allison e Norman Petty em 1957, a canção foi para o # 3 na parada Billboard Top 100 no mesmo ano de seu lançamento. Originalmente chamada de “Cindy Lou”, em homenagem à sobrinha de Buddy, filha de sua irmã Pat Holley Kaiter, teve seu título alterado para “Peggy Sue”.

O novo nome se referia à namorada do baterista Jerry Allison (e futura esposa), Peggy Sue Gerron, com quem tinha tido recentemente uma separação temporária. Aparentemente, Allison desempenhou um papel importante na produção rítmica da música. Introduzida ao Hall da Fama do Grammy em 1999, a canção está também na lista das 500 melhores músicas de todos os tempos, segundo a revista Rolling Stone.

Donna Ludwig

Donna Ludwig (Foto: Reprodução)

Donna – Ritchie Vallens

Lançada em 1958 por Ritchie Valens, Donna alcançou a posição # 2 no Hot 100 da Billboard, no ano seguinte, e até hoje faz sucesso. A canção é o segundo single do artista e faz parte do Lado A do álbum La Bamba. A inspiração, como o próprio nome sugere, vem de Donna Ludwing, namorada de colégio de Ritchie Vallens.

Poucos dias depois da morte de Valens, em fevereiro de 1959, o grupo Kittens gravou uma música-resposta para a canção, denominada “A Letter to Donna” (em português, “Uma carta a Donna”), com os acordes originais de Donna, porém com uma nova letra contendo uma mensagem para a real Donna Ludwig.

Pattie Boyd

Pattie Boyd (Foto: Reprodução)

Layla – Eric Clapton

Composta por Eric Clapton e gravada com a banda de blues Derek and the Dominos, Layla é a décima terceira faixa do álbum Layla and Other Assorted Love Songs, lançado em dezembro de 1970. É considerada uma das canções mais românticas de toda a história do rock, sendo inspirada no amor, inicialmente, platônico de Clapton por Pattie Boyd, então, esposa de seu amigo George Harrison.

Inicialmente, a música não fez muito sucesso, mas, com o tempo, foi conquistando o reconhecimento do público e da crítica. Anos depois de seu lançamento, Eric se casou com Pattie e, então, regravou, em 1982, a canção numa versão acústica, chegando ao topo das paradas de sucesso e levando o Grammy de “Melhor Canção de Rock” em 1993. Em 2004, atingiu a 27ª posição da lista de “500 Melhores Canções de Todos os Tempos” da revista Rolling Stone. 

Pattie Boyd

Pattie Boyd (Foto: Reprodução)

Something – Beatles

Mais uma canção inspirada na modelo Pattie Boyd. Só que dessa vez composta pelo Beatle George Harrison, em homenagem à sua mulher da época. Considerada por muitos críticos como a melhor composição de Harrison, Something foi lançada no álbum Abbey Road de 1969 e alcançou os primeiros lugares nas paradas de vários países.

Depois de “Yesterday” é a música mais gravada do quarteto de Liverpool. Nela, George Harrison canta e toca as guitarras, Paul McCartney toca baixo, Ringo Starr toca bateria e John Lennon toca teclado. Houve também a participação de instrumentos de orquestra: doze violinos, quatro violas, quatro violoncelos, e um baixo.

Kathy Mary Etchingham

Kathy Mary Etchingham (Foto: Reprodução)

The Wind Cries Mary – Jimi Hendrix

Na 370ª posição na lista da revista Rolling Stone com as 500 melhores músicas de todos os tempos está The Wind Cries Mary, um clássico da banda The Jimi Hendrix Experience.  Nos Estados Unidos, a música foi lançada no lado B do disco “Purple Haze”, em junho de 1967.

Segundo o próprio Jimi Hendrix, a canção foi inspirada em sua namorada da época, Kathy Mary Etchingham, que o colocou para fora do apartamento onde moravam por conta de uma briga. Expressada de maneira extremamente nostálgica, The Wind Cries Mary representa a falta que a garota fez na vida do cantor. Outra versão afirma que Hendrix remete à “Mary Jane” – uma gíria que a representa maconha.

Lenora Bailey

Lenora Bailey (Foto: Reprodução)

Lenny – Stevie Ray Vaughan

Lenny, do guitarrista Stevie Ray Vaughan, faz parte do álbum Texas Flood de 1983. A música instrumental é considerada um dos standards do blues contemporâneo. John Mayer gravou a canção no álbum ao vivo Any Given Thursday, no Alabama, Estados Unidos.

Tocada apenas na guitarra, a canção é uma homenagem à ex-mulher de Vaughan, Lenora Bailey, apelidada carinhosamente de Lenny. Stevie Ray batizou também, com o mesmo nome, a guitarra que ganhou da esposa no seu aniversário de 26 anos, uma Fender Stratocaster 1965. Hoje, a marca comercializa uma reprodução do instrumento com o nome de Lenny Stratocaster.

Angela Bowie

Angela Bowie (Foto: Reprodução)

Angie – Rolling Stones

Escrita por Keith Richards, guitarrista do Rolling Stones, a música “Angie” foi lançada pela banda em 1973, no álbum Goats Head Soup, que logo atingiu o topo da U.S. Billboard Hot 100 – um dos rankings musicais mais importantes dos Estados Unidos. A música fala sobre o envolvimento de um casal e o fim do relacionamento.

Existem rumores sobre a origem dessa mulher apelidada de “Angie”. A música, na verdade, teria sido escrita por Mick Jagger sobre o relacionamento que o cantor teve com a primeira esposa de David Bowie, a atriz norte-americana Angela Bowie. Jagger nega essa hipótese e Keith Richards defende, explicando que a música ganhou este nome por conta de sua filha, que também se chama Angela.

Caroline Kennedy

Caroline Kennedy (Foto: Reprodução)

Sweet Caroline – Neil Diamond

Escrita por Neil Diamond e lançada em 1969, Sweet Caroline atingiu a 4ª posição da lista da US Billboard Hot 100, vendendo 1 milhão de discos na época.

Em 2007, o cantor revelou numa entrevista que a inspiração para Sweet Caroline foi a filha do presidente norte-americano John F. Kennedy, Caroline Kennedy, que tinha apenas 11 anos de idade na época.

Diamond cantou a música no aniversário de 50 anos de Caroline, também em 2007. Hoje ela tem 58 anos e é escritora.

Matérias Relacionadas
Muscle Shoals: Conheça o paraíso do Rock n’ Roll no estado americano do Alabama
Projeto homenageia músicos que precisaram de apenas 27 anos de vida pra virar lenda
Mahara Albertoni
Empreendedorismo retrô: Os desafios enfrentados pelas mulheres que investem no mercado da nostalgia
Comitatus cover beatles
Cover dos Beatles faz show em homenagem aos 71 anos da Fundação Dorina Nowill para Cegos

Deixe um comentário

dois × 3 =