Home > Destaque > Coopermiti: Cooperativa resgata antiguidades em meio a pilhas de lixo eletrônico em São Paulo

Coopermiti: Cooperativa resgata antiguidades em meio a pilhas de lixo eletrônico em São Paulo

30 de maio de 2017, por Leila Benedetti
Lifestyle
Polaroid

Você que está limpando sua casa ou escritório e está se desfazendo de aparelhos eletrônicos que “se aposentaram”, antes de transformá-los em sucata, procure pela etiqueta que informa a marca e o modelo de cada um. Se houver, pesquise também a marca e o modelo informado na internet, você vai descobrir que o seu eletrônico é muito mais que um simples utensílio aposentado. Mas se você não encontrou nada, se espante mais ainda, pois significa que aquilo que você ia jogar fora na verdade é uma grande relíquia de altíssimo valor.

Computador Unitron

Computador Unitron ap II de 1982, uma cópia descarada do Apple II que foi lançada no mesmo ano, porém, fez tanto sucesso quanto (Foto: Coopermiti)

Pensando nisso, a Coopermiti, uma cooperativa sem fins lucrativos responsável pelo tratamento de lixo eletrônico (ou lixo tecnológico ou e-lixo, como eles chamam), separou as antiguidades vindas entre as décadas de 1930 a 2000 que foram consideradas lixo pelos seus ex-usuários, estudou cada uma delas e abriu um museu localizado no mesmo prédio da sede.

Batedeira Walita

Batedeira Walita edição comemorativa de Brasília, anos 60. (Foto: Acervo Coopermiti)

Eletrodomésticos, televisores, equipamentos de escritório, videogames (tendo como destaque o Atari 2600, de 1983), instrumentos musicais, entre outros foram catalogados para exposição ainda em funcionamento ou não, mas pelo menos com suas partes externas conservadas ou restauradas pela própria cooperativa. Ao lado de cada ítem exposto no museu há uma plaquinha informando a marca, o modelo, o ano de fabricação e a história de seu auge.

Atari 2600 de 1983

Atari 2600 de 1983, muito procurado pelos colecionadores de hoje e que chegou até a ganhar uma reedição nos dias atuais. (Foto: Acervo da Coopermiti)

Para alertar sobre a prática consciente de descartar lixo eletrônico, a Coopermiti também leva a exposição para eventos e empresas e aceita agendamento de visitas escolares, o que é bom para as crianças, que não só aprendem sobre o descarte consciente de lixo eletrônico como também passam a conhecer diversos objetos nunca vistos pela nova geração. Quem se interessou pelo assunto porém mora muito longe de São Paulo, o site oficial da cooperativa tem um espaço exclusivo para o museu com a história de todos os eletrônicos.

Gravador de videocassete Sony Betacam

Gravador de videocassete Sony Betacam da década de 1970, antecessor da Sony Betamax da década de 1980 (Foto: Acervo da Coopermiti)

Coopermiti

Sede da Coopermiti (

Sede da Coopermiti (Foto: Reprodução)

A Coopermiti é uma cooperativa sem fins lucrativos fundada em 2010 conveniada pela prefeitura de São Paulo que se responsabiliza pelo tratamento de lixo eletrônico, que não pode ser tratado da mesma forma que o lixo comum por conter restos altamente nocivos para o meio ambiente. Além do museu, a Coopermiti abriga a sua Oficina de Arte, onde suas obras são criadas com resíduos eletrônicos.

Serviço
Coopermiti
www.coopermiti.com.br
Rua João Rudge, 366 – Casa Verde – São Paulo/SP
11 3666 – 0849

Deixe um comentário

16 + 14 =