Home > Destaque > Entrevista com Tom Ingram, responsável pelo Viva Las Vegas, maior evento de rockabilly do mundo

Entrevista com Tom Ingram, responsável pelo Viva Las Vegas, maior evento de rockabilly do mundo

5 de março de 2017, por Cherry Rat
Música
Tom Ingram

Se você é apaixonado pela cultura dos anos de 1950, com certeza já ouviu falar ou sonha em ir para o Viva Las Vegas Rockabilly Weekend, nos Estados Unidos. Considerado o maior festival de rockabilly do mundo, o evento, que acontece no The Orleans Hotel and Casino, em Las Vegas, chega à sua 20º edição em abril deste ano. São mais de 80 bandas, pool party, concursos de pin-up, burlesco e trajes de banho vintage, além de encontro de carros antigos e muita diversão em apenas 4 dias.

O responsável por fazer tudo isso acontecer é o produtor Tom Ingram. Nascido na Inglaterra e atualmente vivendo na Califórnia, ele também está envolvido em outros grandes projetos, como a rádio online Rockabilly Radio e a gravadora Ruby Records. Conversamos com o empresário para entender o sucesso do evento, suas preferências dentro do festival e as dificuldades em realizar um encontro desse porte. Confira:

Universo Retrô – Agora o VLV já tem 20 anos de idade, mas queremos saber como surgiu a ideia para o primeiro evento? Você imaginou que o festival teria tantas edições e tamanha proporção?

Tom Ingram – Eu estava organizando eventos no Reino Unido. Comecei fazendo o Hemsby Weekender. Quando eu mudei para a Califórnia eu decidi fazer eventos em Vegas e fui apresentado ao The Gold Coast pelo gerente do Treiners, Seymur Heller. Eu nunca esperei que crescesse ao ponto que é agora.

Universo Retrô – O que você mais ama no VLV e por quê? Qual foi a melhor edição do festival na sua opinião?

Tom Ingram – Eu amo tudo sobre o VLV e tento assistir tudo o que posso. Mas eu acho que conhecer todas as pessoas que vêm para o evento é a melhor parte de tudo isso. Eu não poderia escolher o melhor ano por inúmeros motivos. É impossível já que eu tenho aproveitado todos eles.

Tom Ingram

Tom Ingram, realizador do Viva Las Vegas Rockabilly Weekend (Foto: Reprodução)

Universo Retrô – O que você acha da atual cena rockabilly nos EUA e no mundo?

Tom Ingram – Eu acho que a cena rockabilly em todo o mundo é saudável, mas está passando por grandes mudanças. Quando eu morava em Londres, os clubes semanais eram a coisa mais importante. Agora são os weekenders. Os europeus, especialmente, vão a vários festivais em um ano. Nos EUA isso não acontece ainda, mas acho que vai. Agora, há eventos de fim de semana em todo o mundo, então há muita escolha. Gostaria de experimentar o maior número possível.

Universo Retrô – Como os trabalhos da Miss Rockwell e a Audrey Deluxe vem ajudado o evento?

Tom Ingram – Ambas são uma enorme ajuda para VLV. Seus contatos com o universo pin-up e burlesco nos ajudaram a nos destacar nessas áreas. Ambas também são envolvidas no funcionamento geral e administração do evento e suas habilidades são inigualáveis. Sinto-me honrado por tê-las trabalhando para o VLV e agora somos muito bons amigos.

Tom Ingram

Tom Ingram, a esquerda, ao lado de Miss Rockwell e das finalistas do Concurso de Pin-Ups da 18º edição do VLV (Foto: Reprodução)

Universo Retrô – Quais artistas você adoraria ver tocando no Viva Las Vegas mas nunca teve a chance de trazer?

Tom Ingram – Elvis Presley está, de longe, no topo da lista. Mas eu também adoraria ter trazido Larry Williams e Johnny Burnette. Ambos impossível por razões obvias.

Universo Retrô – Quais as maiores dificuldades que você encontra na hora de trazer bandas de outros países para o VLV?

Tom Ingram – Trazer bandas de outros países para os Estados Unidos tem 2 grandes problemas. Primeiro o custo. Grande parte das bandas de outros países não são muito conhecidas no EUA então a presença delas não ajuda na venda de ingressos, além das passagens aéreas e outras coisas que também precisam ser pagos. Eu gosto de correr o risco de colocar bandas que são desconhecidas aqui se eu acho que elas são boas. Segundo, tirar vistos de trabalho é difícil e caro. E agora está ficando mais complicado.

Tom Ingram e Dita von teese

Tom Ingram com Dita Von Teese em uma das edições do VLV (Foto: Reprodução)

Universo Retrô – Como é o processo de escolha das bandas?

Tom Ingram – Para escolher as bandas eu vejo todas as inscrições e tento balancear diferentes estilos de música dentro da nossa cena e de bandas novas à mais conhecidas sem repetir as bandas com frequência.

Universo Retrô – Qual o segredo para o evento durar tantos anos? Você já pensou em fazer alguma edição do VLV em outro país?

Tom Ingram – Eu não pretendo fazer um evento em outro país, mas nunca se sabe. E eu não sei qual é o segredo do VLV ter durado tanto tempo. Eu adoraria saber. Eu só curto o que eu faço.

Tom Ingram

Tom Ingram com Victor Rodder, brasileiro e integrante da extinta banda Annie & The Malagueta Boys, que tocou no festival em 2013 (Foto: Arquivo Pessoal – Victor Rodder)

Universo Retrô – Você sabe algo sobre a cena rockabilly do Brasil? Mande uma mensagem para todos os fãs brasileiros do Viva Las Vegas.

Tom Ingram – Eu tenho lido e ouvido muito sobre a cena brasileira e me parece muito bom. Eu realmente espero poder ir ao Brasil um dia pra ver todo mundo e me divertir em um de seus eventos.

Serviço
Viva Las Vegas Rockabiily weekend
Ingreossos: www.vivalasvegas.net

Matérias Relacionadas
Saiba tudo o que rolou na 19º edição do Viva Las Vegas Rockabilly Weekend
Cantor de ‘Rockabilly Guy’, Tim Polecat concede entrevista ao UR antes do show no VLV 2016
Histórias de brasileiros que já foram ao Viva Las Vegas Rockabilly Weekend
Manual de Sobrevivência do Viva Las Vegas Rockabilly Weekend

Deixe um comentário

dois × dois =