Home > Destaque > Idealizador do Muddy Roots fala sobre a edição brasileira do festival que acontece em Botucatu

Idealizador do Muddy Roots fala sobre a edição brasileira do festival que acontece em Botucatu

4 de novembro de 2016, por Mirella Fonzar
Música

Já falamos aqui sobre a incrível experiência de participar de uma edição do Muddy Roots Music Festival, em Cookeville, Tennessee. Agora, chegou o momento dos brasileiros, fãs da música de raiz americana, terem a possibilidade de curtir a versão tupiniquim do festival, que será realizado nos próximos dias 12 e 13 de novembro, pela primeira vez, em Botucatu – São Paulo.

Ao todo, a marca Muddy Roots já organiza 6 festivais de música em 3 continentes (Estados Unidos, Bélgica e Brasil), além de possuir um selo e uma gravadora de mesmo nome nos EUA, que produz lendas dos anos 50 a novos talentos. Tudo envolvendo sons genuinamente americanos, que tiveram seu auge no passado, como country, rockabilly, bluegrass, blues, punk rock e por aí vai. Segundo seu idealizador, Jason Galaz, a ideia é “celebrar artistas independentes que cantam música da alma”, independente de rótulos.

Jason Galaz, idealizador do Muddy Roots (Foto: Reprodução)

Jason Galaz, idealizador do Muddy Roots (Foto: Reprodução)

Com a ajuda de amigos, como a colega de selo Mary Lee Saldanha, vocalista da banda Mary Lee & The B-Side Brothes, de Londrina, Jason vai levar a “experiência Muddy Roots” pela primeira vez a um país da America do Sul, com bandas locais e atrações internacionais. Nos mesmos moldes das edições gringas, o evento brasileiro será realizado ao ar livre, com área de camping, food trucks e ingressos bastante acessíveis.

No line-up, Bob Wayne and the Outlaw Carnies, Wild Billy James, Urban Pioneers, Mary Lee and The B-side Brothers, Red Lights Gang, Phantom Powers, Kingargoolas, Tiregrito, Waldi & Redson, Hellgrass, Dotô Tonho, Feeling Folks and Rednecks, Rio Bile Capivara, Condado Caramujo, O Lendário ChucroBillyman, Cool Grass Blue Gang, Them Old Crap, Tiro Williams & The Wild Cowboys, Roçabilly Brothers, Turvo Pardo Paranapanema, mais DJ Ranch-o-Rama e outras atrações surpresas.

Aproveitamos a proximidade do Muddy Roots Brasil para conversar com Jason Galaz e conhecer melhor seus projetos. Confira nosso bate-papo abaixo!

Universo Retrô – Há quanto tempo surgiu o Muddy Roots Music Festival?

Jason Galaz – Começamos a organizar shows em Nashville em 2009. Mas, o primeiro Muddy Roots Music Festival foi em 2010 em Cookeville, Tennessee, onde é realizado até hoje nos Estados Unidos.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Universo Retrô – Como você enxerga o crescimento do festival nesses últimos anos?

Jason Galaz – Nós agora organizamos 6 festivais de música em 3 continentes, possuímos um selo e uma gravadora. Todos, na realidade, são pequenos projetos focados mais na experiência da música do que na grana. A gente prefere esse coisa menor e mais intimista, e acreditamos que é assim mesmo que deve ser. Eu ainda quero encontrar mais lugares para realizar novos eventos e manter o som do Muddy Roots ainda mais vivo.

Universo Retrô – Imaginaria que o projeto tomaria essa proporção e teria filiais em outros países, como Bélgica e Brasil?

Jason Galaz – Nem em meus sonhos mais loucos eu imaginava que organizaríamos, um dia, festivais em outros países. Mas tivemos a coragem de sonhar e encontrar os amigos certos para ajudar. Por exemplo, Nicky na Bélgica, e Porkão e Mary Lee, no Brasil. Isso não aconteceria sem eles.

Muddy Roots, em Cookville - TN

Muddy Roots, em Cookville – TN (Foto: Reprodução)

Universo Retrô – Em falar nisso, como aconteceu de lançar uma versão do Muddy Roots no Brasil?

Jason Galaz – Recebemos o contato de muitas bandas do Brasil que têm interesse em tocar no Muddy Roots Europa. Primeiro veio “Mary Lee and the Sideburn Brothers”, que agora é “Mary Lee and the B-Side Brothers”. Então, “Them Old Crap” e, agora, muitos outros mais batendo na porta. Nós amamos o som deles e construímos uma boa amizade com essas pessoas. Mary Lee havia mencionado que achava que havia uma cena bastante grande da música de raízes americanas para apoiar um evento como o nosso. Sendo assim, eu topo ir a qualquer lugar onde as pessoas estejam ouvindo coisas boas.

Universo Retrô – O que você espera desse evento no Brasil? Você já esteve no país?

Jason Galaz – Eu nunca estive no Brasil. Este evento é planejado inteiramente na confiança de amigos que conhecem a área e estão dispostos a trabalhar duro para que isso aconteça. Falamos quase todos os dias por e-mail e às vezes Skype. O mesmo aconteceu na organização do primeiro Muddy Roots Europa, na Bélgica.

Esta vai ser a primeira semente plantada na lama. Ela vai crescer e, eventualmente, amarrar muitas cenas underground no Brasil, da maneira que faz aqui nos EUA. Não há nada como o Muddy Roots. Ele une diversas cenas, em vez de estar sozinho. Ele mistura a música e celebra a vida.

(Foto: Mirella Fonzar / Universo Retrô)

(Foto: Mirella Fonzar / Universo Retrô)

Universo Retrô – Nos conte um pouco das atrações internacionais que estão vindo ao Brasil. 

Jason Galaz – Bob Wayne é nosso headliner este ano. Ele mora no Alabama, a apenas algumas horas de mim, em seu trailer. Não há praticamente outro músico que trabalhe tão duro como Bob; ele faz turnê pelo mundo, tocando seu caminhão fora da lei e dirigindo sua música country (risos)! Já The Urban Pioneers atualmente vivem em uma fazenda no Texas.

Bem, tecnicamente, eles vivem em sua van por 250 dias por ano e depois vão para o Texas para descansar ou visitar a família. É difícil encontrar alguém que toque violino da maneira que Liz Sloan dos Pioneers toca. E por fim, terá Wild Billy James, uma “One Man Band” do Uruguai. Na América, chamamos seu estilo de “Deep Blues”, um termo que Chris Johnson usou para seu Deep Blues Fest, que continha um blues mais fúnebre e punk, além do tradicional blues do Mississippi e outras misturas musicais.

Universo Retrô – E sobre as atrações brasileiras, como aconteceu a escolha das bandas?

Jason Galaz – Consegui confiar integralmente na Mary Lee para escolher as atrações brasileiras e regionais. Ela conhece quase todo mundo. Eu assisti os vídeos das bandas no Youtube e mal posso esperar para vê-las ao vivo! Descobri que por aí tem um monte músicos que fazem o bom e velho country music, rockabilly e bluegrass, todos com aquele ar rock ‘n roll. Dá pra ver que essa galera tem alma. Esse é o tipo de gente que gosto.

Universo Retrô – Você imaginava que o Brasil tivesse uma cena de roots music americana dessa proporção?

Jason Galaz – Tenho um amigo do Brasil chamado Jesse Lee Jones, que é dono de um famoso honky tonk em Nashville. Ele me contou um pouco sobre o amor que os brasileiros tem pelas raízes americanas e o rock ‘n roll. Também me disse que muitos de nossos exilados da guerra civil americana se estabeleceram no país nos anos de 1800 e que eu posso encontrar vestígios disso em pequenas rachaduras na calçada, por exemplo. Mas, eu não sei muito sobre isso. Se é verdade, faria sentido que a música de raiz americana chegasse naturalmente do Brasil.

Universo Retrô – O que mais você gosta sobre o Muddy Roots e que acha importante trazer para essa edição brasileira?

Jason Galaz – A coisa mais importante é construir uma comunidade em resistência à indústria fonográfica. A indústria controla quem ouve as bandas, o que elas chamam e onde as compram. A única maneira de mudar isso é fazer com que todas as cenas underground de todo o mundo se tornem uma voz no mercado e, quem sabe, até construir nossa própria economia musical. Além do mais, o som do underground é muito melhor do que se encontra hoje nas lojas.

(Foto: Reprodução)

(Foto: Reprodução)

Universo Retrô – Nos conte um pouco sobre a versão americana do Muddy Roots.

Jason Galaz – Na verdade, nós temos 4 edições americanas. Moonruner’s Fest, em Chicago, Muddy Roots Spring Weekender, em Indiana, Nashville Boogie Vintage Weekender, em Nashville, e o Muddy Roots Music Festival, em Cookeville, TN. Mas, acredito que queira dizer Muddy Roots em Cookeville, pois é o nosso mais antigo. Lá, você pode encontrar tudo, desde bluegrass, country até blues, punk rock, rockabilly e muito mais.

Celebramos artistas independentes que cantam música da alma. O festival toma espaço em grande campo, sem divisão entre a banda e os fãs. Não há áreas VIP, onde bandas são separadas do seu público. Nós costumamos convidar grandes nomes da música, mas nunca ninguém que aja como um típico “rockstar”. A multidão cuida uns dos dos outros. Eles se mantêm na linha e se ajudam mutuamente. O sentimento é único e você pode senti-lo no ar.

(Foto: Mirella Fonzar / Universo Retrô)

(Foto: Mirella Fonzar / Universo Retrô)

Universo Retrô – E sobre o selo e a gravadora, Muddy Roots Records? Nos fale um pouco sobre eles.

Jason Galaz – Muddy Roots Records retornou em 2013. Nós lançamos singles de The Sonics, Mudhoney, Wanda Jackson, a banda rockabilly de Lemmy, “Headcat”, e vários outros projetos. Nós colocamos a maior parte da nossa energia em nossos artistas de álbum completo. Estes são alguns dos melhores músicos de raízes do mundo.

A maioria está em vinil, mas todos podem ser encontrados também na internet. Alguns nomes como The Tillers, Joseph Huber. Woody Pines, Shak Shakers, Dana Sipos, Dylan Walshe, Mary Lee e The B-Side Brothers, The Glade City Rounders, The Hardin Draw, Sonny Burgess e Billy Harlan. Um pouco de tudo, desde a velha banda de música de cordas até artistas rockabilly originais dos anos 1950.

Universo Retrô – Nos conte sobre a parceria com Mary Lee & The B-Side Brothers e se pretende assinar com outras bandas brasileiras.

Jason Galaz – Mary Lee & The B-Side Brothers tem um novo álbum com nós! Ele saiu em junho deste ano. Nós continuamos buscando outras bandas para assinar, uma vez que descobrirmos quem tem a ver com a gente por aí. Eles precisam soar bem. Eles precisam trabalhar duro. E ser boas pessoas, acima de tudo.

Universo Retrô – Deixe um recado para os brasileiros que pretendem ir ao Muddy Roots.

Jason Galaz – Vem, galera! De Nashville a Botucatu. Nós somos uma só família!

SERVIÇO

Muddy Roots Music Festival Brasil 2016
12 e 13 de novembro, a partir das 12h
Haras Drago’s Ranch
Estrada Espelho D’água, Km 6 – Rubião Júnior – Botucatu, São Paulo
Ingressos entre R$ 60 e R$ 100
Garanta seu ingresso nos pontos de venda ou no www.portaldoingresso.com.br
Evento no Facebook, aqui

Matérias Relacionadas
Honky Tonk Party: Festa de 1 ano do Universo Retrô + Lançamento coleção Pin-Ups
Cyndi Lauper regrava ‘Funnel of Love’ de Wanda Jackson para novo álbum ‘Detour’
Dolly Parton: A rainha da Country Music completa 70 anos
Cercado de polêmicas e muito rock ‘n roll, Jerry Lee Lewis completa 80 anos

Deixe um comentário

catorze − 1 =