Home > Destaque > Relembre os materiais escolares que fizeram a cabeça das crianças nos anos 90

Relembre os materiais escolares que fizeram a cabeça das crianças nos anos 90

24 de setembro de 2015, por Fernanda Cruz de Oliveira
Lifestyle

Quem tem mais de vinte anos, vira e mexe se pega relembrando os tempos de escola. Afinal de contas, foram muitos momentos que merecem um lugar especial do lado esquerdo do peito. E algo que costuma bater aquela nostalgia é quando lembramos do dia de comprar o material escolar. Sim, aquela loucura na papelaria do bairro pelo caderno mais cobiçado, pelo jogo de canetas de todas as cores, pelos acessórios que fariam aquela diferença que só a gente entendia, e nossos pais muitas vezes questionavam. Então, se você estudou nos anos 90, estamos falando a mesma língua e sabemos que alguns materiais daquela época ficaram na memória. Pegue já a sua mochila de rodinha e embarque nessa viagem de volta à infância!

Estojão

Ele podia até não ser item obrigatório na lista de materiais escolares, mas foi sonho de consumo para muitos, se não todos, estudantes da época. Todo mundo queria um “estojão”. A pasta trazia canetinhas de todas as cores, aquarela, giz de cera, lápis de cor, borracha, apontador, tesoura, clipes e até uma lupa (?).

Estojão

Estojão (Foto: Reprodução)


Régua com água

Essa fazia a alegria das meninas! Com apenas 15 cm, a mini régua trazia desenhos fofos e de personagens que faziam sucesso na época. Para completar a diversão e, claro, a distração no momento da aula. Dentro da régua vinha água e glitter, e bastava balançá-la de um lado para o outro que tudo se misturava.

Régua com água

Régua com água (Foto: Reprodução)

Estojo automático 

Quantas opções para guardar os lápis, canetas e borrachas nós tínhamos, hein? Para começar, muita gente deve ter se achado o próprio Inspetor Bugiganga por ter um estojo automático, que trazia botões para tudo que se possa imaginar. Tinham compartimentos para borracha, apontador, clips, tesoura e por aí vai. O único defeito é que quase não tinha espaço para as canetas e os lápis.

Estojo automático

Estojo automático (Foto: Reprodução)

Estojo de metal 

Já o de metal era extremamente pequeno, mal cabiam os lápis e as canetas. O estojo era composto por duas partes e fazia um barulho absurdo, sem contar que amassava facilmente. Mas nada impedia que todo mundo quisesse um desses.

Estojo moranguinho

Estojo moranguinho (Foto: Reprodução)

Estojo de pelúcia

Que atire a primeira pedra a menina que nunca teve um estojo de pelúcia. As opções de bichinhos eram variadas; as meninas podiam escolher entre porco, girafa, vaca, onça, cachorro, coelho e diversos outros animais.

Estojo de pelúcia

Estojo de pelúcia (Foto: Reprodução)

Canetinhas playcolor

As aulas de Educação Artística, ou, como são conhecidas hoje em dia, de Artes, sempre eram garantia de diversão. Todo mundo adorava usar canetinhas na hora de colorir ou de contornar um desenho. E quem não se recorda das Canetinhas Playcolor? Elas eram as únicas apagáveis! No kit vinha uma caneta branca, que se você passasse por cima de uma outra cor, ela sumia. Teve também uma versão que fazia as cores mudarem. Se você usasse o verde e passasse a canetinha branca por cima, ele virava amarelo. Aposto que dessa você não lembrava!

Canetinhas playcolor

Canetinhas playcolor (Foto: Reprodução)


Lápis de tabuada

O lápis tabuada, como ficou conhecido, foi o terror de muitos professores e o melhor amigo de muitos estudantes, principalmente na prova de matemática, claro. O único problema era que conforme você ia apontando, uma tabuada sumia. O que deixava muitos estudantes em um tremendo desespero.

Lápis tabuada

Lápis tabuada (Foto: Reprodução)

Lapiseira troca ponta

A lapiseira troca ponta também fez muito sucesso entre os estudantes. Quem não queria ter uma lapiseira cheia de detalhes e cores, e que para trocar o grafite era só enfiar a ponta gasta no buraco de cima dela para uma ponta nova aparecer. Tudo era muito simples, já que as peças se encaixavam uma na outra. Essas lapiseiras podiam até não ter uma vida muito longa, mas eram item indispensável.

Lapiseira troca-ponta

Lapiseira troca ponta (Foto: Reprodução)

Molde de letras

Nada de word ou paint. Na década de 1990, as capas e os cartazes dos trabalhos escolares de muita gente foram feitos com os moldes de letras. Havia molde de todos os tamanhos e com dois tipos de fontes, com serifa ou sem. E para tudo ficar ainda mais divertido, costumávamos fazer cada letra de uma cor.

Molde de letras

Molde de letras (Foto: Reprodução)

Borracha que trocava as pontas

É praticamente impossível terminar uma borracha, certo? A gente sempre acaba perdendo ou emprestando para um amigo que nunca devolve. Isso agora, porque na década de 1990 as borrachas mega coloridas, que trocavam as pontas, eram uma verdadeira sensação e duravam bastante tempo, já que quando uma das pontas acabava era possível substituí-la na mesma hora. Era difícil viver sem uma dessas.

Borracha troca pontas

Borracha troca pontas (Foto: Reprodução)

O que mais você sente saudades dessa época?

Matérias Relacionadas
Filme Chocante
Filme ‘Chocante’ mostra o retorno de uma boy band após 20 anos
Havaianas Looney Tunes
Havaianas lança coleção inédita com estampas de personagens da LOONEY TUNES!
Chocolate Nestlé Turma da Mônica
Chocolate Turma da Mônica voltará para o supermercado
Visual anos 90
O revival dos anos 90: 9 tendências da moda que estão de volta

Deixe um comentário

3 × 4 =