Home > Destaque > Standards do jazz podem inspirar roteiro da próxima viagem a Nova Iorque

Standards do jazz podem inspirar roteiro da próxima viagem a Nova Iorque

15 de julho de 2015, por Mirella Fonzar
Música
Frank Sinatra

Você nunca foi à Nova Iorque? Mas, ao ouvir a canção de Frank Sinatra – New York, New York – sente como se já tivesse acordado na cidade que nunca dorme? Então, você é a prova de que a música faz, mesmo, a gente viajar no tempo e no espaço. Algumas composições são capazes de nos levar aos mais variados destinos ou épocas, descrevendo perfeitamente ruas, bairros, cidades… Mas, se o desejo é conhecer esses lugares de verdade, as canções favoritas também podem ajudar na escolha do roteiro das próximas férias. E é essa a nossa dica para a sua próxima viagem à Nova Iorque: um roteiro baseado nos standards do jazz, que narram algumas das maravilhas da Big Apple. Embarque nessa viagem musical e cultural!

New York, New York – Frank Sinatra

“I want to wake up in that city, that doesn’t sleep / And find I’m king of the hill”

“Eu quero acordar na cidade que nunca dorme / E descobrir que sou o rei do pedaço”

Manhattan – Ella Fitzgerald

“We’ll have Manhattan, the Bronx and Staten Island too (…) And tell me what street compares with Mott Street in July?”

“Teremos Manhattan, Bronx e Staten Island também (…) E me diga se existe como comparar a Mott Street em julho?”

Na música Manhattan, de  Richard Rodgers e Lorenz Hart, a cantora Ella Fitzgerald cita locais indispensáveis para quem quer visitar Nova Iorque. Começando por Manhattan, que dá nome à canção. Não tem como não se apaixonar pela ilha onde ficam localizados os pontos mais populares da Big Apple, como o Empire State (o prédio mais alto da cidade), a Broadway (avenida onde ficam localizados os teatros), a Times Square, os bairros de Harlem, Little Italy e China Town, o museu de arte moderna MoMa, entre outras tantas atrações. Imperdível!

Brooklyn Bridge — Frank Sinatra

“Like to plant my feet on the Brooklyn Bridge. What a lovely view from heaven, looks at you from the Brooklyn Bridge”

“Gosto de colocar meus pés na ponte do Brooklyn. Que vista adorável do paraíso, olhar você pela ponte do Brooklyn”

A música de Frank Sinatra descreve sua admiração pela ponte do Brooklyn, considerada uma das mais antigas pontes de suspensão nos Estados Unidos. Sobre o rio East, liga os distritos de Manhattan e Brooklyn e proporciona uma das mais incríveis vistas da cidade de Nova Iorque. Acima das pistas dos carros é possível caminhar ou andar de bike pela passarela, curtindo a paisagem espetacular do skyline de Manhattan. Passeio imperdível para quem visita a cidade que nunca dorme!

Puttin’ on the Ritz — Fred Astaire

“Have you seen the well-to-do up and down Park Avenue? On that famous thoroughfare, with their noses in the air!”

“Você viu os bacanas pra cima e pra baixo na Park Avenue? Nessa passagem famosa, com seus narizes pelo ar!”

A música de Irving Berlin foi tema do filme Blue Skies, protagonizado por Fred Astaire nas telonas em 1946. O título desse standard do jazz vem da expressão “Puttin’ on the Ritz”, que significa se vestir de forma chic e estilosa. O termo foi inspirado no sofisticado Hotel Ritz-Carlton, localizado próximo ao Central Park, no Upper East Side. Tanto quem chega ao parque, como quem vem caminhando pela Quinta Avenida, é impossível não notar o suntuoso hotel de 22 andares. Mesmo que você não se hospede por lá, só a vista do lado de fora já vale a visita.

Take the A Train – Duke Ellington

“You must take the A-Train to go to sugar hill way up in Harlem! If you miss the A-Train, you’ll find you missed the quickest way to Harlem.”

“Você deve pegar o Trem-A para ir do Sugar Hill ao Harlem! Se você perder o Trem-A, você vai
perder o caminho mais rápido para o Harlem.”

A música de Duke Ellington já diz tudo. A maneira mais rápida de chegar ao Harlem é de metro! O trem-A “Eighth Avenue Express” é um serviço de trânsito rápido para essa região de Nova York, onde se localiza o bairro que se tornou centro da cultura negra americana, principalmente o jazz. É lá que se encontra o famoso Teatro Apollo, onde a própria Ella começou sua carreira. Jackson 5, Jimi Hendrix e muitos outros também se apresentaram por lá. Um programa bacana de fazer é assistir a algum coral gospel de uma Igreja. De arrepiar até os ateus!

Lullaby of Broaway – Doris Day

“The lullaby of broadway, the rumble of a subway train, the rattle of the taxis, the daffydils who entertain.”

“A canção de ninar da Broadway, o barulho de um trem do metrô, o chocalho dos táxis, os narcisos que entretêm”

Essa avenida realmente dispensa apresentações. Como sabemos, a Broadway é famosa pela grande quantidade de teatros que, em sua maioria, têm peças musicais incríveis em cartaz. A canção “Lullaby of Broadway”, de Harry Warren e Al Dubin, sucesso na voz de Doris Day, em 1951, no filme de mesmo nome, ressalta a vida noturna dessa região e de quem por lá habita: “não durma bem até o amanhecer”. E é exatamente esse sentimento que a rua nos dá com todas as suas luzes e arte por todo lado. Assistir um musical na Broadway é realmente um sonho!

Central Park West – John Coltrane

Música instrumental, sem letra.

John Coltrane sabia das coisas sem precisar falar nada. O saxofonista lançou a música Central Park West, no álbum Coltrane’s Sound, em 1964. Como o próprio nome já diz, a canção faz referência ao Central Park West (CPW), avenida que cruza norte-sul de Manhattan e abriga várias residências famosas, incluindo The Dakota (onde John Lennon morou com Yoko Ono), The San Remo (Bono do U2), The Beresford (Diana Ross) e 41 Central Park West (Madonna). Vale a pena a visita, principalmente se você quer se sentir mais próximos dos seus ídolos, ou pelo menos, das casas deles.

42nd Street – Lloyd Bacon

“Hear the beat of dancing feet, it’s the song I love the melody of Forty-Second Street”

“Ouça a batida de pés dançantes, é a música que eu amo, a melodia da Rua Quarenta e Dois”

Bem no coração de Manhatan está a rua 42, que serviu de inspiração para o musical de mesmo nome, protagonizado por Lloyd Bacon em 1933. Especialmente perto do cruzamento com a Broadway, na Times Square, o local é um show de luzes e arranha-céus. Os edifícios mais conhecidos da Big Apple estão por lá: United Nations, Chrysler Building, Grand Central Terminal e Times Square.

Fifth Avenue – Shirley Temple

“Pricing rings, pretty things that they can’t afford to buy, but the smile, they don’t care. Ev’ryone’s a millionaire, when you’re strolling on Fifth Avenue.”

“Anéis caros, coisas bonitas que não têm dinheiro para comprar, mas eles sorriem, eles não se importam. Todo mundo é um milionário, quando você estiver passeando na Quinta Avenida.”

A música interpretada por Shirley Temple, no musical “Young People”, de 1940, descreve bem essa luxuosa rua. Também conhecida como Avenida da Moda (Fashion Avenue), a Quinta Avenida é uma das melhores e mais caras ruas para fazer compras no mundo. Por lá fica localizada a icônica loja da Tiffany & Co, que apareceu em 1961 no filme Bonequinha de Luxo, de Audrey Hepburn. Destino preferido das fashionistas!

Matérias Relacionadas
Music in The Park
Jazz Festival esse domingo no Parque do Povo em São Paulo
Jazz
Jazz a La Calle: Festival de Jazz para ver no Uruguai em janeiro
Maria Rita
Maria Rita faz homenagem a Ella Fitzgerald no Rock in Rio de 2017
Joe Louis
Festival BB Seguridade de Blues e Jazz chega a São Paulo no dia 1 de julho em evento gratuito

Deixe um comentário

5 × 4 =