Home > Cinema & TV > Sesc Santana projeta clássicos de Mazzaropi na mostra ‘Paulistaníssimo Mazzaropi’

Sesc Santana projeta clássicos de Mazzaropi na mostra ‘Paulistaníssimo Mazzaropi’

3 de janeiro de 2017, por Jane Galaxie
Cinema & TV
Mazzaropi

De 10 a 31 de janeiro, terças, às 20h, o Sesc Santana exibe a mostra Paulistaníssimo Mazzaropi. Figura emblemática do cinema nacional, Mazzaropi, por meio de seus filmes, levantou questões sociais como o êxodo rural, a imigração e preconceitos de classe, presentes nas obras apresentadas. Serão exibidos Casinha Pequenina, Jeca Tatu, Meu Japão Brasileiro e Um Caipira em Bariloche, respectivamente. Confira a programação:

Casinha Pequenina | 10/01
(Dir. Glauco Mirko Laurelli | Brasil | 1963 | 95 min.)
No Brasil colonial, em meados da abolição da escravatura no século XIX, um rico fazendeiro dono de escravos envolve pessoas humildes em um plano para se livrar de uma mulher que o chantageia. O enredo trata de problemas de injustiças sociais e luta contra o poder dos coronéis.

Jeca Tatu | 17/01
(Dir. Milton Amaral | Brasil | 1959 | 95 min.)
Baseado no personagem de Monteiro Lobato, Jeca é um preguiçoso e simplório caipira que vive em um sítio na zona rural do interior de São Paulo com sua mulher, filha adolescente e mais dois meninos pequenos. Devendo no armazém da cidade, ele doa partes de sua terra para pagar as dívidas. Sem que saiba, o dono as repassa para o latifundiário italiano, com quem Jeca tem uma desavença, já que Giovani, o italiano, quer impedir o namoro entre seu filho Marcos, e a filha do caipira, Marina. Para piorar a confusão, o capataz Vaca Brava, também interessado em Marina, arma diversos planos para acirrar a rixa entre os dois.

Meu Japão Brasileiro | 24/01
(Dir. Glauco Mirko Laurelli | Brasil | 1965 | 102 min.)
Numa região de plantadores de arroz, Mazzaropi interpreta Fofuca, um agricultor que enfrenta a exploração do sr. Leão, responsável por intermediar os negócios entre os produtores e o comércio na cidade. Fofuca, a professora, o prefeito e o vigário local, se aliam aos trabalhadores rurais e organizam uma cooperativa para a ira de Leão, que começa, com o filho Roberto e seus capangas, uma campanha de intimidação contra eles.

Um Caipira em Bariloche | 31/01
(Dir. Amácio Mazzaropi, Pio Zamuner | Brasil, Argentina | 1973 | 102 min.)
Polidoro, interpretado por Mazzaropi, é um ingênuo fazendeiro dono de muitas terras da cidade. Persuadido por seu genro e sua filha, vende a fazenda para Agenor, um vigarista, amigo de seu genro, cuja esposa Nora também é vítima de suas trapaças. Uma armadilha é armada para que Nora e Polidoro viajem a Bariloche, e assim sua fazenda seja vendida por meio de um negócio ilícito. Avisado a tempo, Polidoro volta para desmascarar o genro.

Serviço: Paulistaníssimo Mazzaropi
10 a 31/01, terças, às 20h
Av. Luiz Dumont Villares, 579 – Jd. São Paulo.
Teatro. Capacidade: 330 lugares.
Grátis. Recomendação etária: livre.
Acesso para deficientes – estacionamento – ar condicionado.
Estacionamento – R$12,00 a primeira hora e R$ 3,00 a hora adicional – desconto para credenciados.

Matérias Relacionadas
A ameaça que veio do espaço
Clássicos de ficção científica são projetados no Sesc Santana
wanderleia
Wanderléa realiza show no Sesc Santana com ingressos gratuitos para o público idoso
Zé do Caixão
Sesc Santana apresenta mostra em comemoração aos 80 anos de Zé do Caixão
macbeth
Filmes do diretor Orson Welles serão exibidos no Sesc Santana

Deixe um comentário

cinco − 2 =