Home > Destaque > Vinte anos sem Tim Maia: Relembre a trajetória do maior ícone da música soul brasileira

Vinte anos sem Tim Maia: Relembre a trajetória do maior ícone da música soul brasileira

11 de março de 2018, por Jane Galaxie
Música
Tim Maia

Há 20 anos, silenciou-se a maior voz do que se pode chamar de soul brasileiro. Tim Maia não só deixou um legado incrível, como sua própria existência originou biografias nos mais diversos formatos. Para relembrar a importância de sua obra e de seu talento para a história da música brasileira, a vitrine virtual UmSóLugar preparou um infográfico com os mais valiosos highlights de sua carreira.

Infográfico Tim Maia

Infográfico, 20 anos sem Tim Maia (Fonte: Um Só Lugar)

De ex-baterista da banda do bairro – os Tijucanos do Ritmo – à sua famosa desavença com Roberto Carlos – quando formavam o grupo The Sputniks, ainda adolescentes – Tim Maia já colecionava episódios que mais tarde contribuiriam para a construção da imagem deste artista contestador e extremamente criativo. Mas foi durante uma temporada nos Estados Unidos que, ainda aos 17 anos, ele foi apresentado ao som dos metais que embalam o soul music, e lá também deixou sua marca, quando integrou o grupo The Ideals.

Já na fase adulta, Tim compôs sucessos e produziu discos de artistas consagrados, como os da turma da Jovem Guarda. Somente em 1970 gravou o seu primeiro longplay, arrebatando o público com célebres interpretações, como Azul da Cor do Mar e Primavera. E não parou por aí, ano após ano, seus álbuns homônimos invadiram as paradas de sucesso, com canções que transpõem décadas, como Não Quero Dinheiro, O que Você quer Apostar e Gostava Tanto de Você.

No meio do caminho, porém, Tim Maia foi apresentado à doutrina Cultura Racional e imergiu completamente num oceano de ciências terrenas e espirituais. Mais dois discos, com músicas de própria autoria e de demais compositores, foram lançados nessa época – e há quem assegure serem os mais significativos de sua carreira. Imunização Racional e O Caminho do Bem são algumas das potentes faixas que integram o duo racional.

O envolvimento com a doutrina não durou muito e Tim, então, volta aos estúdios ao fim da década de 70 para uma produção quase interminável de sucessos. Daí para frente, ainda nasceram muitas obras primas como O Descobridor dos Sete Mares, Somos América, Carinhos, Dance Bem, Voltou Clarear, Nova Era Glacial, Pro Meu Grande Amor, Sorriso de Criança e tantas outras. Ao longo de seus 42 anos de carreira, Tim Maia gravou ao menos 30 álbuns, sem contar alguns compactos e outros lançamentos póstumos.

O ícone da música soul brasileira ainda está entre os artistas mais prestigiados pelo Prêmio da Música Brasileira, ocupando a 5ª posição do ranking, com 13 reconhecimentos. Sete vezes eleito o melhor cantor, Tim Maia continua sendo uma inspiração para artistas contemporâneos e um indispensável clássico para as novas gerações.

Matérias Relacionadas
Tim Maia
Mês dos Namorados: 5 músicas inesquecíveis de Tim Maia, o cantor dos apaixonados

1 Response

Deixe um comentário

7 − dois =