Home > Design > 8 games retrô que marcaram gerações para matar a saudades

8 games retrô que marcaram gerações para matar a saudades

17 de dezembro de 2018, por Jane Galaxie
Design

O mundo dos games vive os seus anos dourados. Uma das indústrias mais lucrativas do planeta, eles não se cansam de nos surpreender com novas experiências interativas e uma infinidade de ofertas para todos os perfis. Apenas no Brasil, estima-se que seus 75,7 milhões de gamers movimentaram 1,3 bilhão de dólares em 2018, consolidando o país na liderança latino-americana como o 13º maior mercado do ranking global.

Mesmo diante desta onda inovadora, nós do Universo Retrô não conseguimos esquecer dos jogos clássicos que marcaram as primeiras
gerações de gamers. Jogos de uma época mais simples, da era do arcade, com títulos de 8 e 16 bits que nos transformaram nos viciados saudáveis que somos hoje. Games tão marcantes que se transformaram em verdadeiros ícones e hoje podem ser vistos até decorando a casa. Prepara-se para uma viagem no tempo dos games mais saudosos da história.

Space Invaders

Foto: Reprodução

Nada contra o maravilhoso Gears of War. Porém Space Invaders, um clássico de 1978, ainda é imbatível. O game foi o primeiro do tipo shooter, onde o jogador controla uma nave que deve abater o máximo de invasores alienígenas possível. A velocidade do jogo acelera de acordo com a música e os alienígenas se aproximam em número assustador. Um clássico de uma época em que explodir um disco voador de 8 bit era tão satisfatório quanto executar um perfeito headshot no Call of Duty.

Duck Hunt

Foto: Reprodução

Um dos precursores dos modernos jogos de tiro em primeira pessoa, Duck Hunt não permitia que você explodisse zumbis, mutantes ou até mesmo zumbis mutantes. O objetivo do game era caçar patos. Isso mesmo. Essa simpática e inocente criatura era o alvo a ser abatido. Talvez a maior inovação do jogo tenha sido a pistola que vinha no pacote NES Zapper, uma das melhores que já fizeram, a propósito. E, claro, o cachorro sorridente que aparecia pegando os patos ao final do jogo.

Tetris

Foto: Reprodução

É estranho pensar que um jogo baseado em encontrar a melhor maneira de se organizar com sucesso um grupo de formas coloridas teve a sua melhor versão numa máquina incapaz de exibir mais do que quatro tons de cinza esverdeado. Porém, independente disso, a clássica versão para o Game Boy de Alexei Pajitnov conseguiu atingir a combinação perfeita entre jogo e hardware.

Donkey Kong

Foto: Reprodução

Apenas o jogo que lançou a carreira de um certo encanador ítalo-americano. O sucesso de Donkey Kong, lançado em 1981 pela Nintendo, foi crucial para estabelecer as bases de uma futura dinastia Mario Bros. Tendo falhado em conquistar o mercado norte-americano, o presidente da Nintendo Hiroshi Yamauchi convenceu o jovem designer Shigeru Miyamoto a produzir um novo
jogo. Jumpman (depois rebatizado Mario para o lançamento do jogo nos EUA) e seu rival símio conquistaram o planeta. Donkey Kong, o próprio, acabou ganhando o seu próprio spinoff que deu vazão a uma infinidade de títulos.

Pong

Foto: Reprodução

Falar de game retrô e não citar Pong deveria ser considerado uma heresia. O jogo de tênis de mesa da Atari foi o responsável por levar o videogame ao mainstream. Além de sua importância para o setor, é um grande jogo por si só. Dois mostradores, dois bastões e uma bola: toda a simplicidade de um game eterno.

Doom

Foto: Reprodução

Um dos grandes clássicos dos games é, sem sombra de dúvidas, Doom. Lançado em 1993, o visual do jogo impressionava para a época. É bem verdade que Doom não foi o primeiro game de tiro em primeira pessoa (posto que cabe a Wolfenstein 3D), mas foi o que revolucionou para sempre esse estilo de jogo. Consagrado como um dos   de todos os tempos, calcula-se que uma média de 20 milhões de pessoas já o jogaram. O grande diferencial que Doom trouxe no início dos anos 90 foi o seu suporte para multiplayer, o que acabaria se tornando um dos principais filões do mundo dos games.

Sonic the Hedgehog 2

Foto: Reprodução

O espinhoso veloz da Sega provou ser um rival digno do Mario da Nintendo com sua estreia no Mega Drive. No entanto, foram os
espetaculares loops e truques inteligentes que provaram que seus criadores acertaram em cheio. Com o parceiro Tails a reboque (cujo nome real, Miles Prower, é um dos melhores trocadilhos do jogo), esta aventura foi um dos melhores games de dois jogadores da era dos 16 bits e ainda deixa muitos dos modernos Sonic na poeira.

Super Mario Bros. 3

Foto: Reprodução

Tendo praticamente inventado o jogo de plataformas, a Nintendo reinventou-o com o Super Mario Bros. 3 e depois repetiu a dose com Super Mario World. Os dois games são tão especiais que fica difícil escolher o melhor. Se por um lado Super Mario Bros. 3 foi mais ambicioso, Super Mario World foi mais inventivo. Nós, entretanto, não fugimos da briga e optamos por SMB3. Um game acima do nível da perfeição que entrou para a história.

Matérias Relacionadas
Top 5 jogos retrô para matar as saudades dos vídeo games dos anos 1990
Conheça Cuphead, o jogo com visual dos desenhos animados da década de 1930
Decoração Games
7 itens para fazer uma decoração de videogames retrô na sua casa
Mega Drive
10 jogos essenciais para curtir a volta do Mega Drive

Deixe um comentário

vinte − 14 =