Home > Destaque > Casinha branca: A música que une diversos estilos da música brasileira

Casinha branca: A música que une diversos estilos da música brasileira

27 de fevereiro de 2017, por Vanessa Rodrigues Rabelo
Música
Música Casinha Branca

Casinha Branca foi composta em 1979 pela dupla Gilson e Joran. Mesmo com quase 40 anos da primeira gravação, a canção ainda continua inspirando diversos artistas. Durante as décadas que se passaram, cantores como Maria Bethânia fizeram, também, a própria interpretação para a música. Confira algumas versões selecionadas:

A primeira interpretação da canção ocorreu em 1979 e foi realizada por um dos compositores: Gilson. Foi, além disso, tema da novela Marron Glacé, que estreou no mesmo ano. A música era a temática de Otávio, interpretado pelo ator Paulo Figueiredo. Na trama, ele era um moço que imaginava ser o verdadeiro herdeiro do buffet, que dá nome à novela, porém ele acaba se apaixonando por uma das filhas da proprietária do local. A letra se aproxima com fidelidade ao enredo de Otávio:

“Tenho andado tão sozinho ultimamente
Que nem vejo em minha frente
Nada que me dê prazer

Sinto cada vez mais longe a felicidade
Vendo em minha mocidade
Tanto sonho perecer”

Maria Bethânia, com toda a maestria pertencente a ela, emprestou a voz marcante para uma versão acústica da canção. A música foi gravada para o CD Maricotinha – Ao vivo, em 2001, na antiga casa de shows Direct TV Hall, em São Paulo, e o DVD de mesmo nome, em 2002, no Canecão, no Rio de Janeiro.

Roberta Campos, que interpreta e compõe sucessos da atualidade como Minha felicidade, fez uma versão mais folk e intimista para a canção, em 2015. A música entrou para o álbum dela Todo caminho é sorte:

O rapper Dexter utilizou canção como sample para música Como vai seu mundo. Na versão atual, presente no álbum Flor de Lótus, de 2016, o rapper mistura à letra original dilemas da contemporaneidade e da vida urbana como:

“Através das grades olhei pro céu azul
Um pássaro voava do norte pro sul
Me emocionei, pensei como é lindo a liberdade”

Existem músicas, como Casinha Branca, para as quais não há limite de estilo ou tempo; pois possuem letras que transmitem o que existe de mais intenso na existência humana. Conhece alguma outra música que atravessou décadas em diversos estilos? Não deixe de dizer, então, nos comentários.

Deixe um comentário

14 − 4 =