Home > Cinema & TV > O Círculo: Filme traz antiga discussão sobre privacidade em tempos de tecnologia

O Círculo: Filme traz antiga discussão sobre privacidade em tempos de tecnologia

23 de junho de 2017, por Aline Lima
Cinema & TV
Filme O Circulo

Estreou, nesta quinta-feira (22), o filme O Circulo, baseado no livro homônimo de 2013, escrito por Dave Eggers, que também coescreveu o roteiro ao lado de James Ponsoldt, responsável pela direção do filme. A convite da Companhia das Letras, parceira do Universo Retrô, fomos na pré-estreia, que aconteceu dia 19 (segunda-feira) e viemos contar tudo para vocês!

A trama gira em torno de Mae Holland (Emma Watson), uma jovem cheia de energia que consegue o emprego dos sonhos, graças a sua amiga Annie (Karen Gillan), em uma companhia chamada O Circulo. Aos poucos a garota acaba se deixando levar pelas politicas da empresa, e por uma série de eventos, o que talvez faça com que ela perca a privacidade, e até mesmo a própria identidade.

Annie e Mae

Annie e Mae (Foto: Reprodução)

A discussão em torno do papel que a tecnologia exerce em nossas vidas é antiga, e toda vez que uma nova forma de comunicação surge é sempre assustador. Mesmo as fotografias foram acusadas durante muito tempo de “roubar a alma das pessoas”, e na primeira sessão de cinema, promovida em Paris (1895) pelos irmãos Lumière, tivemos várias pessoas assustadas, que saíram correndo do local por acreditarem que o trem no telão estava realmente vindo em suas direções.

O que o filme propõe é uma reflexão, mesmo que rasa em alguns momentos, sobre o avanço da tecnologia. Com as redes sociais tão presentes em nossas vidas nos dias de hoje, até que ponto é saudável compartilhar nosso dia a dia? Muitas vezes com pessoas que nem conhecemos! Tom Hanks (Forest Gump), que interpreta o executivo Eamon Bailey, foi um grande acerto para o elenco, pois o ator passa uma imagem confiável, e vai envolvendo Mae em seus ideais. Mesmo assim o espectador consegue perceber que existe algo de errado com ele.

Ty e Mae

Ty e Mae (Foto: Reprodução)

Ellar Coltrane (Boyhood – Da Infância a Juventude) dá vida a Mercer, um amigo da protagonista desde criança, que se recusa a deixar sua privacidade em função da fama para seus negócios. John Boyega (Star Wars – O Despertar da Força) acaba ficando em segundo plano como o misterioso Ty, que cumpre a função de explicar o que está acontecendo à protagonista, e tentar convencê-la de todos os problemas causados pela superexposição na internet pode trazer.

O problema de O Círculo talvez esteja no fato de que sua narrativa é lenta, o que depois de um tempo pode causar a perda do interesse por parte de quem está assistindo. O público nunca descobre com clareza os planos da companhia, tornando o final bagunçado e com muitas pontas soltas, apesar da reflexão sobre os nossos atos .

Matérias Relacionadas
Relíquias da Tecnologia: Série fotográfica relembra objetos antigos

Deixe um comentário

dezesseis + 11 =