Home > Destaque > Por que o músico Bob Dylan mereceu ganhar o Nobel de Literatura?

Por que o músico Bob Dylan mereceu ganhar o Nobel de Literatura?

19 de outubro de 2016, por Vanessa Rodrigues Rabelo
Música

Robert Allen Zimmerman é o verdadeiro nome do cantor, compositor e escritor Bob Dylan. No último dia 13 de outubro, ele foi escolhido pela Academia Sueca para receber o Prêmio Nobel de Literatura. Apesar de, como dito, ele, além de músico e compositor, ser escritor, a escolha ocorreu pela sua contribuição e capacidade de reinvenção das formas poéticas das canções norte-americanas, segundo a secretária permanente da Academia, Sara Danius. Muitos questionamentos surgiram a partir de então: seria a música capaz de se encaixar em um prêmio literário?

Dylan alcançou grande notoriedade a partir do segundo álbum, The Freewheelin, lançado em 1963. O disco traz o hit “Blowin’ in the Wind”, uma canção protesto que promoveu a música folk para o cenário pop. A poeticidade, julgada merecedora pela Academia, pode ser vista em versos como: “Quantos oceanos uma pomba branca deve navegar Antes de dormir na areia? Sim, e quantas vezes as balas de canhão devem voar Antes de serem banidas para sempre? A resposta, meu amigo, está soprando no vento”

Bob Dylan é o tipo de músico que causa surpresa nos trabalhos em relação ao que é esperado dele pela crítica e pelos fãs. Em 1965, lançou um álbum, no qual deixava de lado a música folk para reformular o rock and roll. O nome do novo trabalho era “Highway 61 Revisited” e a principal canção foi “Like a Rolling Stone”. Na letra, é retratada a decadência de uma pessoa pertencente a uma classe social mais elevada. Diferentemente do iê-iê- iê promovido naquele tempo pelos Beatles, Dylan relatava a fragilidade da sociedade ocidental.

Além desses estilos, Bob Dylan foi capaz de permear a música contry e pop com a mesma maestria dos outros gêneros. Enquanto compositor, não há dúvidas de que ele é um dos mais geniais ainda em atividade. Em matéria recente do crítico literário Jerônimo Teixeira, é falado que a música, ao ser posto em uma folha de papel, não consegue preenchê-la como o poema por si. É verdade, também, que vemos muitos professores de Língua Portuguesa, por exemplo, utilizarem letras de música para explicarem as complexas figuras de linguagem. Não seriam, então, as canções uma forma de literatura seja em qual idioma ocorrerem?

A poética de Bob Dylan é considerada uma renovação literária por vários críticos. Ainda, muitos consideram o Nobel de literatura merecido para ele. A crítica à premiação, por sua vez, ocorre em duas situações: a indicação de Dylan pode configurar uma abertura para outras mídias receberem o prêmio na categoria literatura; e a não nomeação aos autores consagrados da contemporaneidade como Mia Couto, autor africano de Língua Portuguesa e ganhador do Prêmio Camões.

Ao som da canção “Knockin’ on Heaven’s Door”, lançada por Bob Dylan em 1973 e amplamente regravada por artistas de várias gerações como Guns n’ Roses e Avril Lavigne, deixamos o questionamento dos limites entre literatura e música para você, leitor. Comente suas impressões sobre o tema e compartilhe com os amigos!

Matérias Relacionadas
Bob Dylan
Bob Dylan recebe o Prêmio Nobel de Literatura de 2016
Cadillac Records
Cinco cinebiografias de músicos que você precisa assistir
Dia do Amigo: 10 amizades que se transformaram em grandes parcerias musicais

Deixe um comentário

11 − 3 =