Home > Destaque > Breve história dos grampos de cabelo e a origem da marca ‘Teimoso’

Breve história dos grampos de cabelo e a origem da marca ‘Teimoso’

17 de outubro de 2016, por Gia RedHot
Moda
Grampos de Cabelo

Sem dúvida uma mulher moderna passa sua vida sem ter contato com um acessório indispensável para os cabelos: os grampos! Eles vem hoje em diversas cores e tamanhos, mas tem apenas uma função: deixar seu penteado perfeito! Desde a antiguidade os cabelos e penteados são uma denominação de classe social, idade, estado civil, identificação racial, e crenças políticas. Cada vez mais fez-se necessário adotar acessórios e ferramentas para se diferenciarem da maioria das mulheres, especialmente através dos penteados.

Os grampos também entram nessa lista como item indispensável na criação de penteados mais requintados em particular para manter a firmeza dos mesmos. São feitos de diversos tipos de material, como marfim, bronze e madeira entalhada. O modelo que mais conhecemos é o de metal, em formato de “u”. O item se popularizou em meados de 1900 e desde então tem sofrido poucas mudanças em sua estrutura.

Grampos Teimoso

Grampos Teimoso

Grampos Teimoso (Foto: Reprodução)

Uma das marcas brasileiras mais icônicas neste segmento é a Grampos Teimoso, fundada em 1962 por Antônio Barrocal. Nascido em Taquaritinga, no estado de São Paulo, mudou-se para a capital. Com sua família sempre residiu na zona norte da cidade, não tinha lugar melhor para começar seu negócio inovador: produção de grampos para cabelo.

Primeiramente o comércio funcionava com apenas uma máquina em uma garagem alugada no bairro do Tucuruvi. Com o sucesso, finalmente a fábrica mudou-se para um prédio próprio, onde continua até hoje, na Rua Capricho, 1102. Em 1967 a fábrica ganhou um novo sócio, João de Gouveia Rodrigues, o então sogro de seu Antônio, mas em 1972 seu filho, Luiz Antônio Barrocal passou a ter o controle de ações da empresa e permanece até hoje.

Pensando sempre em sua expansão, a empresa hoje não fabrica mais somente os grampos, mas também bigodins de aluminínio e plástico, boby rotativo, papel para permanente e mais recentemente curlers para cabelos afro e encaracolado. Em 1986, a Teimoso foi uma das primeiras indústrias brasileiras a implementar o código de barras nas suas embalagens.

Com certeza você já deparou com alguns desses produtos em salões ou mesmo comprou para uso próprio. E você, tem ideia de quantos grampos já usou na vida?

Deixe um comentário

cinco × 5 =