Home > Destaque > Adaptação brasileira do musical ‘Rocky Horror Show’ surpreende com Marcelo Médici

Adaptação brasileira do musical ‘Rocky Horror Show’ surpreende com Marcelo Médici

6 de dezembro de 2016, por Daise Alves
Lifestyle
Rock Horror Show

Os apaixonados por filmes B sabem que Rocky Horror Picture Show, escrito por Richard O’Brien, é um clássico dos anos 70. O musical de comédia de terror britânico conta a história de um jovem casal de noivos que em têm o carro quebrado em meio a uma tempestade. Ao procurarem ajuda, chegam em um castelo onde encontram criaturas bizarras, entre eles, o cientista e também transexual Frank N. Furter, que tenta criar um homem perfeito e musculoso em seu laboratório.

O primeiro ato inicia com uma narrativa, assim como no feito no cinema. Entretanto, diferente do filme em que o narrador é um personagem mais sério, na peça, o personagem interpretado por Marcel Octavio (Hair e Os Saltimbancos), tem uma característica mais “sarcátisca”, mas que se encaixa perfeitamente na energia do espetáculo, interagindo muito bem com o público.

Rock Horror Show

Marcelo Médici em Rock Horror Show (Foto: Divulgação)

No cenário inicial, diversos cartazes fazendo referências aos filmes de horror B, os quais a peça foi inspirada, entre eles: O Homem Invisível (1933), King Kong (1933), O Lobisomen (1941), O Monstro da Lagoa Negra (1954), entre outros clássicos. Um prato cheio para os amantes de horror vintage no cinema.

A cenografia ainda faz uma ótima combinação com a sonoplastia e iluminação, principalmente para os efeitos de chuva, representando o momento em que o jovem casal está perdido. O destaque vai ainda para os ambientes do castelo, que remetem muito bem os locais que vemos no filme.

A adaptação das músicas, elemento essencial para o desenrolar da trama, é com certeza contagiante. Há uma mistura de rock dos anos 50 com ritmo de balada, mas que conseguiram entrar numa linguagem mais brasileira.

Para quem está acostumado a ver Marcelo Medici (44) interpretando personagens famosos com clichê bem masculino como Zóinho na Praça é Nossa (1998) e Sanderson na terceira temporada do Vai que Cola (2014/2015), se surpreende ao ver o ator mostrando seu lado sensual com um personagem polêmico, de espírito libertário, forte como um homem e sensível como uma mulher usando salto e espartilho.

Os atores no geral mostraram que têm muito talento, não só na atuação, mas também na voz e dança. Destaque especial para a atriz Jana Amorim, que conseguiu encarnar muito bem a excêntrica personagem Columbia.

Rock Horror Show

Marcelo Médici em Rock Horror Show (Foto: Divulgação)

O espetáculo tem todo o brilho do glam rock com plumas, glitter e paêtes. No musical, o casal careta é transformado e mostra que todos podem ter liberdade sexual sem serem julgados. O musical é tão contagiante que quem assiste, também sai de lá sentindo-se “glamourizado”.

Matérias Relacionadas
Musical Forever Young
Espetáculo ‘Forever Young’ no Teatro Porto Seguro em maio
Musical Forever Young
Comédia musical Forever Young reestreia dia 19 de janeiro no Teatro Fernando Torres no Tatuapé (SP)
Hebe Camargo
Ingressos para ‘Hebe, O Musical’ já estão disponíveis para venda
The Rent
Rent: sucesso de público e critica volta aos palcos de SP em setembro

Deixe um comentário

17 + cinco =