Home > Destaque > Se estivesse viva, Amy Winehouse completaria 32 anos em 2015; relembre a trajetória da britânica

Se estivesse viva, Amy Winehouse completaria 32 anos em 2015; relembre a trajetória da britânica

14 de setembro de 2015, por Mirella Fonzar
Música

Se estivesse viva, Amy Winehouse completaria 32 anos nesta segunda-feira, 14 de setembro. Infelizmente, a cantora britânica veio a falecer muito precocemente, 4 anos atrás, quando ainda tinha 27 anos. Ela foi encontrada morta em seu apartamento em Londres, no dia 23 de julho de 2011, em decorrência de uma overdose alcoólica.

Dona de um estilo retrô marcante, uma voz singular e composições polêmicas, que lhe renderam até 2010 mais de 12 milhões de cópias vendidas para o álbum Back to Black (2007), Amy também ficou famosa por seus escândalos com drogas e constantes brigas públicas. A própria cantora chegou a afirmar, em 2007, que viveria apenas mais um ano.

Amy Winehouse

Amy Winehouse em um de seus cliques mais famosos (Foto: Reprodução)

Considerada por muitos como a esperança da Soul Music atual, a artista estreou em 2003, no Reino Unido, com o disco Frank. Mas foi com Back to Black, em 2006, que sua carreira decolou. O álbum, produzido com a banda de Sharon Jones, The Dap Kings, foi muito bem recebido pela crítica internacional, ganhou diversos prêmios e entrou para o topo dos mais vendidos de 2007.

Amy foi indicada em seis categorias no Grammy 2008, e, mesmo não comparecendo ao evento, levou cinco troféus para casa. Por causa do histórico com as drogas, seu visto de entrada nos Estados Unidos foi negado. Seu show para a cerimônia de premiação teve que ser transmitido ao vivo via satélite, e ainda assim foi um enorme sucesso.

Amy Winehouse

Amy Winehouse em uma de seus apresentações (Foto: Reprodução)

As notícias de Amy envolvida em escândalos sempre cercaram a sua carreira. A cantora chegou a ser chamada de Billie Holiday do século 21, pois, assim como a diva do jazz, possuía um talento indiscutível e uma vida pessoal bastante conturbada. Vista constantemente em confusões, ficou conhecida por fazer shows completamente drogada.

Sua história com o ex-marido Blake Fielder-Civil também faz parte de um trecho bastante turbulento de sua vida. Ela acompanhou toda a fase em que Blake estava preso, por agressão, e foi a dois julgamentos. Em um deles, teve que ser retirada da sala à força, pois estava totalmente descontrolada, gritando e chorando.

Amy Winehouse e seu namorado Blake

Amy Winehouse e seu namorado Blake Fielder-Civil (Foto: Reprodução)

Todo esse sentimento em relação ao ex-marido serviu de inspiração para a composição de suas novas músicas em 2009. As canções fariam parte do terceiro álbum da cantora, no entanto foram todas rejeitadas pela gravadora, por serem consideradas “depressivas demais”. O disco nunca saiu da gaveta e Amy regravou apenas o sucesso It´s My Party, de Quincy Jones, num single.

Além de talentosíssima, Amy Winehouse foi uma pessoa bastante intensa e de personalidade forte. E, apesar de suas polêmicas pessoais, pode-se dizer que a cantora trouxe uma certa esperança aos amantes da boa música nos últimos anos. Com um som autêntico em meio a um cenário quase sem originalidade, com certeza Miss Winehouse fará muita falta.

Relembre a música Black to Black, de Amy Winehouse

Matérias Relacionadas
Amy Winehouse Tribute Brasil chega ao Teatro Fernando Torres explorando o universo da cantora soul
Projeto homenageia músicos que precisaram de apenas 27 anos de vida pra virar lenda
Cantora Miranda Kassin apresenta tributo “I Love Amy” em São Paulo
Amy Winehouse
Amy Winehouse: Uma das mais belas vozes que se calou

Deixe um comentário

2 × 2 =