Home > Destaque > Às vésperas do show no Psycho Carnival, banda sueca Test Pilots concede entrevista ao Universo Retrô

Às vésperas do show no Psycho Carnival, banda sueca Test Pilots concede entrevista ao Universo Retrô

1 de março de 2019, por Marcial Balbás
Música

A Suécia nunca esteve tão bem representada quando o assunto é Psychobilly. Na ativa desde 2014, o Test Pilots cativou rapidamente o público psychobilly do mundo todo com seu som único, bem feito e contagiante. Apesar do pouco tempo de existência, já se firmaram como um dos maiores nomes do estilo e talvez a mais promissora banda de sua geração.

Às vésperas de seu primeiro show no Brasil, que acontece no Psycho Carnival, em Curitiba, no próximo sábado, 2 de março, Mattias e Anton falaram com o Universo Retrô sobre suas influências, cena psycho européia, gravação, planos e sonhos dessa banda que você deve conhecer!

Foto: Reprodução

Universo Retrô: Primeiramente gostaria de saber como vocês começaram a banda. Sei que Mattias e Anton já tocavam juntos previamente. O que os levou a formar o Test Pilots? Quais as principais influências de vocês, dentro e fora do psycho/rockabilly?

Mattias: Quando Anton se juntou em 2006 na antiga formação, nós sentimos uma conexão instantânea musicalmente que é bem rara. Naturalmente, nós temos a mesma pegada de tempo e groove nas músicas. E quando nossa antiga banda se separou, começamos a planejar um novo projeto, que no início estava mais inclinado ao rockabilly tradicional com algumas influências neorockabillly. Mas ainda assim, quando tudo aconteceu, o som parecia um pouco engessado. Por isso, optamos por deixar as coisas rolarem mais naturalmente. E hoje em dia, quando estamos escrevendo um material, acho que ele é influenciado pelo que está tocando na vitrola ou na playlist da banda no momento.

Anton: Entre as nossas referências estão grandes nomes do Neo Rockabilly como The Blue Cats, Restless e The Caravans. Além disso, muito da minha guitarra tem influências de country, blues e jazz fusion. Mattias é um grande fã de exotica e toca e compõe em uma banda chamada Ixtahuele! Ele também está envolvido com o jazz clássico tradicional. Neil é um roqueiro antigo e tem tocado em várias bandas de metal nos últimos 20 anos, então, eu acho que somos uma grande mistureba musical de bom gosto.

Universo Retrô: Vocês lançaram em 2018 o ótimo Urban Mirage pela Western Star Recs de Alan Wilson (Guitarrista/Vocal do The Sharks), como foi trabalhar com essa lenda do psychobilly? Esse é um disco e tanto, porém breve, apenas 6 faixas. Alguma previsão de lançarem algo mais em breve?

Mattias: Nós nos divertimos muito na Western Star trabalhando com o Alan. Seu profissionalismo como engenheiro de som, sua musicalidade, conhecimento e influência na cena fez daquela uma ótima semana de gravação. Estar no estúdio com Alan, cujas habilidades e foco são raros, tornou a sessão extremamente produtiva e suave. Por causa da atmosfera acolhedora, nos sentimos totalmente relaxados trabalhando em seu estúdio e ainda tivemos tempo para sair e compartilhar algumas boas histórias!

Anton: novos trabalhos estão em constante progresso e esperamos poder compartilhar algumas novidades este ano.

Juntos com Alan Wilson do The Sharks, dono da Western Star Records. (Foto: Reprodução)

Universo Retrô: Recentemente vocês tocaram em Los Angeles com o Batmobile (Holanda) e o Gorilla (Hungria). Como foi a recepção do público americano ao som de vocês? A cena americana é muito diferente da européia, na visão de vocês?

Anton: foi uma ótima experiência, não tínhamos ideia de que tínhamos um público tão grande nos EUA! Os shows foram bons e foi ótimo tocar para um público totalmente novo!

Mattias: Parece ser uma geração mais nova em geral, que é muito divertida e muitas coisas acontecem por lá! Mas o que é semelhante é que todos aqui e lá estão em busca de uma boa festa!

Universo Retrô: Vocês já haviam feito um video clipe da música Last Wish com a participação de Axel do Nevrotix, outra banda sueca. Recentemente o próprio Nevrotix lançou o clipe Alive, no qual podemos ver o Anton dormindo no clipe. Sei que o Mattias gravou o theremin dessa música também! Duas das melhores bandas do psychobilly atualmente são suecas! Isso me faz pensar que há uma cena psychobilly sueca, há de fato? Há publico? Existe uma parceria entre as bandas? Mais planos para vocês trabalharem juntos?

Mattias: A cena Psychobilly por aqui no momento é bem limitada. Somos grandes amigos do The Nevrotix e estamos ambos na mesma cidade. Há alguns amigos que fizeram shows com artistas internacionais e realmente esperamos que haja mais por vir. Nós também esperamos poder dividir o palco com o Nevrotix mais vezes. Nós sempre nos divertimos muito juntos!

Foto: Reprodução

Universo Retrô: Quais outras bandas da nova geração (2010 para cá…) que lhes chamaram atenção nesses últimos anos? Como vocês tem visto a cena européia na última década? Maior, menor?

Anton: Acho que a cena na Europa, de modo geral, está em declínio. É algo que vem e vai, claro, por isso esperamos vê-la crescer novamente no futuro. Sobre bandas mais recentes, acho que há muitas que se destacam e soam ótimas, com destaque para os nossos amigos da Nevrotix que são uma ótima banda! Ao lado deles, acho que Magnetix é uma das melhores coisas de toda a cena hoje em dia. Mas também outras bandas como As Diabatz, Rusty Robots, Adios Pantalones e Klax.

Universo Retrô: O que vocês esperam do Psycho Carnival? Conhecem algo da cena brasileira de psychobilly?

Mattias: Meu primeiro contato com a cena psychobilly brasileira foi quando eu coloquei as mãos no álbum Little Bits of Insanity d’Os Catalépticos em 2002! Uma verdadeira jóia! Então, estou ansioso pelo show deles e também por outras bandas brasileiras. Lembro-me de ler sobre o Psychobilly Carnival no Psychobilly-Online (antigo forum alemão sobre psychobilly, frequentado por psychos do mundo inteiro), então finalmente comparecer é um tipo de sonho que se torna realidade! E é claro que estou ansioso para ver um pouco da natureza brasileira e experimentar alguns pratos típicos e provar cachaça!

Anton: Estou realmente ansioso para tocar neste festival! Desde a época da nossa antiga banda de Psychobilly, o Carnival tem sido o show dos sonhos!

Mattias: Agradecemos por fazer esta entrevista conosco e espero ver vocês em breve!

Deixe um comentário

três × 3 =