Home > Destaque > Disco Music e Punk Rock dois estilos bem diferentes e que têm tudo a ver

Disco Music e Punk Rock dois estilos bem diferentes e que têm tudo a ver

5 de fevereiro de 2017, por Eduardo Molinar
Música
Ramones

No ano de 2017 dois grandes fenômenos culturais completam, oficialmente falando, 40 anos de existência: a disco music e o punk rock. Tendo 1977 como o ano em que ambos tomaram o mundo fazendo a cabeça dos jovens, esses dois estilos tem mais em comum do que a rivalidade aparente entre os fãs de John Travolta e os punks nos mostra. O Universo Retrô elencou alguns pontos que ajudam a entender como cada um dos ritmos mudou a música em geral e o comportamento dos jovens para sempre.

RITMOS NOVOS QUE RESGATAVAM SONS DO PASSADO

Ao contrário do que a maioria acusava em meados dos anos 70, a disco music e o punk rock não vinham para destruir o que já havia no mundo musical, mas sim para mudá-lo, agregando vários ritmos “esquecidos” com uma nova forma. Na discoteca, junto da batida dance e contínua, ritmos como funk (Disco Inferno – The Trammps), rock and roll (Disco Roller – La Bionda), música folclórica russa (Moskau – Dschingis Khan), sons jamaicanos (Rivers of Babylon – Boney M) foram alguns exemplos da mistura que ocorria (muitas vezes ao vivo, remixadas por DJ’s) nas discotecas. Até a quinta sinfonia de Beethoven foi remixada e ganhou sua versão disco.

O punk rock, apesar do grande número de punks negar Elvis, Beatles e Rolling Stones, resgatava o rock and roll dos anos 50 e 60 e tocava seus riffs de uma nova forma. Essa “mutação” é notável em bandas como Johnny Thunders and the Heartbreakers (Too Much Junkie Businness) e Sex Pistols (God Save the Queen), que fez Chuck Berry afirmar que “aquilo não era ‘música nova’”, pois tais riffs de guitarra eram dele. E o punk também agregou o reggae e o ska (Police and Thieves e Wrong Em’ Boyo, ambas do Clash), criando quase uma união desses movimentos. Mais tarde outros ritmos seriam agregados ao punk rock, como a música celta e a nordestina (feito pelos Raimundos).

INFLUÊNCIA DE UM SOBRE O OUTRO

Logo no início, o punk rock era puro e procurava fugir de qualquer outra coisa feita antes ou no presente, principalmente de um estilo tão midiático como a disco music. No entanto, como excelentes músicos que os punks eram (e ainda são) bandas como Clash, Sex Pistols, Blondie e Talking Heads utilizaram diversos efeitos musicais surgidos dentro das discotecas em suas gravações. O Blondie, vindo do underground CBGB, em Nova York, conquistou seu sucesso comercial quando lançou Heart of Glass, música que se tornou popular em discotecas como a Studio 54, considerada a maior do mundo e cujo dono era o excêntrico e carismático Steve Rubell.

The Clash

O Clash também incorporou novos ritmos e novos elementos à sua música e imagem e nem por isso deixou de ser punk ou traiu o movimento. Eles agregaram uma nova visão ao punk (Foto: Reprodução)

MODIFICANDO O MERCADO FONOGRÁFICO E CRIANDO NOVAS MODAS

Dentro das discotecas, que pela primeira vez trazia a música mecânica e remixada ao vivo, surgiram outros ritmos que, nos anos 80, 90 e 2000, com a decadência da disco music, ganharam o mundo. Essa batida dançante deu origem ao hip hop, à musica eletrônica, modificou o pop (Michael Jackson e Donna Summer são grandes exemplos disso) e colocou o DJ como grande figura de uma festa. O punk rock, por sua vez, deu poder a bandas menores, às gravadoras independentes, influenciou na criação do new wave, do indie rock e colocou o rock and roll de volta ao seu lugar de nascença: as ruas.

Afrika Bambaataa

Afrika Bambaataa, considerado o pai do hip hop, começou nas ruas mas seu som ganhou as discotecas (Foto: Reprodução).

INFLUÊNCIA NO CINEMA

O grande símbolo da época das discotecas é o filme Embalos de Sábado à Noite, que apesar do glamour e da união de culturas proporcionadas pelas boates, mostrou a violência da Nova York do final dos anos 70. Além disso, lançou ao mundo grandes talentos como John Travolta, símbolo de uma geração. Anos depois surgiria o filme Studio 54, retratando o fenômeno musical, cultural e sexual da maior discoteca do mundo. O punk rock popularizou filmes como Laranja Mecânica (já um sucesso na época), Warriors, Class of 1984 e colocou os longa metragens com temáticas de gangues como tendência nos anos 80. Outros ótimos filmes que podem ser citados são Rumble Fish e The Outsiders.

 Class of 1984

O filme Class of 1984 trouxe punk rock, rebeldia juvenil, gangues brigando em escolas e um lema aos punks: “Eu sou o futuro” (Foto: Reprodução)

Matérias Relacionadas
Replicantes
Sesc Pompeia apresenta Os Replicantes, banda de punk rock brasileira
Festival celebra 40 Anos de Punk no Sesc Pompéia
Banda punk ‘Detratores’ disponibiliza prévia de álbum composto nos anos 80
Três Acordes pelo Mundo: conheça o plural movimento punk finlandês

Deixe um comentário

5 + 6 =