Home > Destaque > Dolly Parton: A rainha da Country Music completa 70 anos

Dolly Parton: A rainha da Country Music completa 70 anos

19 de janeiro de 2016, por Juliana Lourenço
Música

Reconhecida mundialmente como a rainha da música country, Dolly Parton, que acaba de completar 70 anos de vida, nasceu no dia 19 de janeiro de 1946, no estado americano do Tennessee. Vinda de uma família muito pobre, ela era a quarta filha de doze irmãos. Seu pai era pedreiro e fazendeiro.

Como a maioria dos cantores country norte-americanos, Dolly também teve seu primeiro contato com a música dentro de uma igreja evangélica. Aos sete anos, ela começou a cantar e a tocar um violão fabricado em casa, mas quando completou oito anos seu tio lhe deu de presente um instrumento comprado em uma loja.

Com dez anos, ela começou a cantar em programas locais de rádio e televisão em sua pequena cidade, Sevierville. Aos 13 anos apareceu pela primeira vez no Grand Ole Opry, considerado o lugar mais sagrado para apresentações de country music em Nashville. E foi nesse dia em que conheceu o cantor Johnny Cash e recebeu conselhos para seguir na carreira de cantora.

Dolly Parton na sua infância

Dolly Parton na sua infância (Fotos: Reprodução)

Em 1964, ela se formou no ensino médio e, enfim, mudou-se para a Meca da Country Music – Nashville. Seus primeiros sucessos se deram como compositora, e grandes nomes da country gravaram suas canções. Em 1966, ela se casou com Carl Thomas Dean, e foi nesse mesmo ano que seus primeiros sucessos começaram a aparecer nas paradas, tais como “Dumb Blonde” , “Put It Off Until Tomorrow” e “Something Fishy”.

Seu casamento com Carl nunca foi muito exposto na mídia. O casal raramente era visto junto; a própria Dolly revelou uma vez, em entrevista, que Carl só assistiu a uma única apresentação sua, eles realmente preferiam separar a vida profissional e pessoal. Mas, em 2011, os dois celebraram seu aniversário de 45 anos de casados!

Dolly e Carl no casamento em 1966

Dolly e Carl no casamento em 1966 (Foto: Reprodução)

Foi em 1967 que Porter Wagoner, uma famoso cantor e apresentador de TV americano, convidou Dolly para fazer parte de seus projetos, no qual incluía aparecer regularmente em seus programas e em suas turnês de shows pelos Estados Unidos. Então, Dolly se tornou sua assistente de palco e foi muito bem aceita pelo público, no qual aumentou consideravelmente o ibope do programa, que antes ia de mal a pior.

A parceria entre Dolly e Porter Wagoner é considerada umas das mais clássicas e bem sucedidas do Country Music. Foi nessa época que a cantora gravou grandes sucessos, tanto na carreira solo ou em dueto com Porter, tais como, “Just Because I’m a Woman”, de 1968; “Coat of Many Colors”, de 1971; “My Tennessee Mountain Home” and “Travelin’ Man”, ambas de 1973.

No entanto, teve uma música em especial , que é considerado seu hit de sucesso até hoje, Jolene, também gravada em 1973. Jolene ficou no topo das paradas de sucesso em 1974 em várias regiões dos Estados Unidos e alcançou o sétimo lugar nas paradas na Inglaterra. Confira abaixo o vídeo:

Nesse ano, por conta do grande sucesso que Dolly vinha fazendo, Porter decidiu romper a parceria. Porém, os dois seguiram se apresentando juntos e cantando seus duetos até 1975. Em 1974, Dolly compôs outro grande sucesso mundial, “I Will Always Love You”. Ela escreveu essa canção inspirada no rompimento profissional com Porter Wagoner.

A canção atingiu o primeiro lugar nas paradas countries; até Elvis Presley quis gravá-la, mas seu empresário queria a metade dos direitos autorais da música para o Rei, então, Dolly recusou a proposta. E essa recusa fez com que ela ganhasse muito dinheiro com o passar do tempo, detendo para si o direito da canção. Mundialmente, a música “I Will Always Love You” veio a ficar conhecida na voz da cantora Whitney Houstoun (vídeo abaixo), como tema do filme O Guarda Costas, em 1992.

Depois dos anos 70 Dolly se aventurou no mundo da música pop. Em 1977, fez o seu primeiro espectáculo na Inglaterra, para um público de rock, no Teatro Rainbow. No ano seguinte, ganhou o primeiro disco de ouro, com “Here You Come Again”, onde afastou bastante o seu trabalho do country, e as suas influências de rock desagradavam cada vez mais os puristas.

Dolly Parton revelou-se também uma atriz competente ao participar no filme “Como Eliminar seu Chefe” ao lado de Jane Fonda e Lilli Tomlin. Com tanto sucesso de sua carreira na mídia, ganhou até uma capa na revista Playboy de 1978, mas não se anime, ela não apareceu nua nessa edição.

Dolly na capa de 1978 da revista Playboy

Dolly na capa de 1978 da revista Playboy (Foto: Reprodução)

Atuou também no filme família buscapé, onde cantou “If You Ain’t Got Love”. Também contracenou em um episódio da série Hannah Montana ao lado de Miley Cyrus, fazendo a madrinha de Miley Stewart. É madrinha de Miley Cyrus na vida real.

Ganhou diversos prêmios, se tornou atriz e filantrópica. Com isso, se tornou um grande ícone de estilo, por seus trajes extravagantes, por sua silhueta avantajada e principalmente por seu cabelo super glamuroso e alto, o Big Haior, o cabelo mais queridinho dos amantes do estilo 60’s e 70’s.

Uma homenagem da colunista do Universo Retrô, Juliana Lourenço, ao estilo de Dolly Parton

Uma homenagem da colunista do Universo Retrô, Juliana Lourenço, ao estilo de Dolly Parton (Foto: Arquivo Pessoal / Reprodução)

Matérias Relacionadas
Musical com as frenéticas
70? Década do Divino Maravilhoso – Doc. Musical com as Frenéticas e Baby do Brasil está em temporada em SP
Rose Sinclair com sua Steel Guitar
Veja entrevista com Rose Sinclair, integrante da banda de Wayne Hancock com sua “steel guitar”
Morte de Johnny Cash completa 15 anos; ouça seleção de músicas do Homem de Preto
Amelinha grava álbum dedicado à obra de Belchior, com clássicos como “A Palo Seco” e “Paralelas”

Deixe um comentário

dois × cinco =