Home > Destaque > Quero mudar o meu estilo para o retrô! E agora, o que fazer?

Quero mudar o meu estilo para o retrô! E agora, o que fazer?

19 de abril de 2016, por Juliana Skliutas
Moda
Estilo retrô

Se você está com aquela vontade de mudar tudo, tem se questionado sobre suas roupas e itens que você veste e por algum motivo enfrenta dilemas em relação ao seu estilo pessoal, fizemos esse artigo especialmente para você. Muitas pessoas ainda não conhecem o seu estilo próprio, e por consequência saem comprando tudo o que veem pelos shoppings só porque “tá na moda”. Sinto informar: é a maior bobagem que se pode fazer.

Mas, antes de radicalizarmos, é preciso conhecer nosso estilo e saber qual imagem queremos transmitir. E não se prenda a um padrão, pois, mesmo no retrô, cada um de nós tem um estilo predominante e outros estilos complementares. Se você está vivendo uma fase de insatisfações, de insegurança e tem medo do novo, não se preocupe! A tendência é que só coisas boas aconteçam, acredite. Pois a mudança ocorre de dentro para fora, e é exatamente o seu incômodo que representa meio caminho andado.

Vivian of Holloway

Inspiração de looks retrô com a marca Vivian of Holloway (Foto: Reprodução)

Responda rapidamente: Suas roupas são confortáveis e soltinhas ou super agarradas? Usa sapatos de salto alto até dentro de casa ou rasteirinhas? Prefere estampas ou cores lisas? Suas blusas têm babados? Seus acessórios são discretos ou tudo maxi gigante? A maquiagem logo cedo é carregada ou só um brilho labial? Com essas e outras respostas já dá para sabermos se será preciso realmente mudar de estilo ou se apenas falta um toque final. Vamos conferir?

curso-maquiagem
O que leva uma pessoa a querer mudar de estilo?

Todos nós temos razões para mudar. Por exemplo, porque emagreceu ou engordou demais, ou porque vai fazer aniversário, ou vai mudar de país. A vontade de mudar sempre tem um significado importante e particular, e não porque alguém lhe disse que se não usar vestido de veludo no próximo inverno está por fora.

Emagreceu ou engordou: o corpo muda e obrigatoriamente o guarda-roupas também. Excelente desculpa para olharmos para a imagem da pessoa que queremos transmitir e nos vestirmos de acordo.

Tess Holiday

Tess Holiday, a maior modelo plus size contratada por agência, mostra que é possível ter estilo independente do seu peso (Foto: Reprodução)

Fez 20, 40 ou 60 anos: a insegurança em alcançarmos aquele número mágico às vezes põe medo. Nada mais justo do que repensarmos se estes algarismos nos representam e se estamos confortáveis com eles.

Separou: “Valeu, foi bom, adeus!” e bola para frente! Tá na hora se de amar, se arrumar, ser feliz, ser quem quiser ser.

Mudou de emprego ou está à procura de novas oportunidades: a imagem corporativa é extremamente importante, ainda mais agora em dias de crise econômica mundial.

Jamie Beck

A fotógrafa Jamie Beck com seu estilo retrô mais clássico, ideal para ambientes de trabalho mais sério (Foto: Reprodução)

Apaixonou-se: que bom! Isso significa que você já se ama o suficiente, só está de olho em alguém para curtir essa paixão. Sinceridade é tudo! Portanto não tente mudar de estilo e ser quem você não é. Seja você mesma, na sua melhor versão.

É muito caro mudar o estilo?

Não! Caro é viver infeliz ou ser mal interpretado pelos outros simplesmente porque a sua imagem está sendo transmitinda de maneira errada. Quando você souber qual é o seu estilo, e mesmo assim quiser mudá-lo, existem algumas opções de compras acessíveis em lojas de departamento, por exemplo, que hoje em dia não deixam nada a desejar às marcas de grife. Altere ou acrescente peças somente a cada 6 meses (primavera/ verão e outono/ inverno). Brechós às vezes podem surpreender ou senão sites de troca, vale dar uma conferida.

Confira nosso guia com 10 dicas para manter o estilo retrô no Brasil gastando pouco

Detalhe de look retrô par ao inverno

Detalhe de look retrô par ao inverno (Foto: Reprodução)

Como iniciar uma mudança no estilo

Avalie seu guarda-roupa. Comece conferindo se você tem alguns itens coringa para o estilo (aqui). Roupas muito apertadas, muito largas ou muito surradas são as primeiras que devem sair. Depois, avalie as cores, estampas e padronagens das peças. Peças que não são utilizadas há mais de um ano devem ficar de quarentena e, se mesmo assim, não conseguir usá-las, desapegue.

Das peças que ficaram, tente montar algumas combinações para ver se você sente melhor. Senão, seu estilo já mudou faz tempo e só está faltando descobrir qual é. O serviço de um Personal Stylist te ajuda a descobrir qual é o seu estilo próprio e estilos complementares, as cores que te valorizam, peças de roupas perfeitas para o seu tipo físico e muito mais. Tudo isso levando em conta sua rotina, mas principalmente, sua vontade de brilhar.

Matérias Relacionadas
Srta Tata
Pela primeira vez no site, Pin-Up do Mês não é do estado de São Paulo; conheça Srta Tata
Vudu busca inspiração no regionalismo para novas estampas de camisetas com Pin-Ups brasileiras
Pin-Up Brasileira
8 dicas para quem quer se tornar uma Pin-Up e por o estilo em prática
Da arte ao lifestyle: As mudanças no universo das Pin-Ups ao longo dos anos

Deixe um comentário

dois × dois =