Home > Cinema & TV > Review de La La Land – Dançando as estações: Um conto de fadas para aquecer o coração

Review de La La Land – Dançando as estações: Um conto de fadas para aquecer o coração

20 de janeiro de 2017, por Aline Lima
Cinema & TV

La La Land é o apelido da cidade de Los Angeles, que é objeto de fascínio de todos aqueles que sonham em fazer sucesso no showbiz, pois o local é conhecido por concentrar os maiores estúdios de Hollywood. A história do musical de mesmo nome foi escrita e dirigida por Damien Chazelle (Whiplash), e gira, justamente, em torno das expectativas criadas em relação à fama.

O enredo é dividido por estações do ano, que traçam um paralelo com o momento que os protagonistas estão vivendo, já que Los Angeles é ensolarada na maior parte do ano. O ponto de partida para trama é o encontro do musico rabugento Sebastian (Ryan Gosling) e a doce aspirante à atriz Mia (Emma Stone). As personalidades dos dois se completam, pois são extremamente diferentes, e acabam colidindo em um primeiro momento.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Sebastian é um pianista de jazz, frustrado com o emprego, que insiste em viver no passado. Ele acredita que o ritmo e a cultura, que tanto ama, está morrendo, e que a única maneira de salvá-lo é abrindo seu próprio clube, assim poderá tocar o que realmente lhe interessa.

Mia é a balconista de um café, que fica dentro de um estúdio, e sonha em se tornar uma estrela. Ela é otimista, esforçada e procura seu lugar ao sol. Já os coadjuvantes não tem muito destaque aqui, mesmo J.K. Simmons (Bill), que já trabalhou com o diretor em Whiplash, e o músico John Legend (Keith) são subaproveitados e usados basicamente como ferramentas para o desenvolvimento do casal protagonista.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Humor também é um fator presente no longa, embora de maneira leve, como uma cena envolvendo canções dos anos 1980. As músicas, diga-se de passagem, desempenham um papel importante – principalmente a viciante “City of Stars” – e ajudam a contar a história. O filme não fica pesado, ou forçado, mas a quantidade de números musicais vai diminuindo ao longo da trama, o que pode causar estranheza.

Toda a trilha sonora, que embala o romance dos protagonistas, se encaixa perfeitamente e ajuda na ambientação, que, apesar de ser contemporânea, tem um clima 60’s. O filme todo, na verdade, presta uma incrível homenagem aos grandes musicais do passado, e conta com várias referências de clássicos como “Cantando na Chuva” (1952), por exemplo.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Os figurinos, principalmente os vestidos de cores fortes que Mia usa, combinados com a fotográfica vibrante, também possuem uma inspiração forte no passado de Hollywood. Toda a trama tem um clima de conto de fadas, e as cenas musicais são totalmente lúdicas, o que faz com que o público se envolva profundamente com o romance de Sebastian e Mia.

A metalinguagem é outro ponto que está fortemente presente no roteiro, trata-se de uma produção que fala sobre filmes e a indústria que Hollywood se tornou ao longo dos anos. Resumindo, a temporada de premiações já começou e La la Land já chegou fazendo barulho; ganhou 7 Globos de Ouro, feito inédito para qualquer outro longa, e é um dos favoritos ao Oscar de Melhor Filme desse ano.

Confira o trailer abaixo:

Matérias Relacionadas
Chaplin-o-musical
Theatro Net apresenta nova temporada do sucesso Chaplin, o Musical
Musical Forever Young
Espetáculo ‘Forever Young’ no Teatro Porto Seguro em maio
Musical Forever Young
Comédia musical Forever Young reestreia dia 19 de janeiro no Teatro Fernando Torres no Tatuapé (SP)
Hebe Camargo
Ingressos para ‘Hebe, O Musical’ já estão disponíveis para venda

1 Response

  1. Luana Mideros

    Quero dizer-lhe que adoro os filmes porque são muito interessantes, podemos encontrar de diferentes gêneros. De forma interessante, o criador optou por inserir uma cena de abertura com personagens novos, o que acaba sendo um choque para o espectador. Desde que vi o elenco de La La Land imaginei que seria uma grande produção, já que tem a participação de atores muito reconhecidos, pessoalmente eu irei ver por causo do ator Ryan Gosling, é muito comprometido. Ele recentemente atuou em Blade Runner 2049. É um dos melhores é maior Filme Drama e vale muito la pena ver, os recomendo muito.

Deixe um comentário

três × dois =