Home > Destaque > Sweet Valentina: Miss Hot Rods é a Pin-Up do Mês com ensaio inspirado em Carmen Miranda

Sweet Valentina: Miss Hot Rods é a Pin-Up do Mês com ensaio inspirado em Carmen Miranda

16 de fevereiro de 2019, por Daise Alves
Moda
Ensaio inspirado em Carmen Miranda

A pin-up do mês de fevereiro é Ariadne Dinhame, conhecida como Sweet Valentina. Ela foi eleita Miss Hot Rods 2018, após participar do concurso que elegeria a Miss Pin-Up do evento. Com seu jeito doce e delicado, a nossa pin-up do mês conquistou o juri também por sua apresentação de ballet ao som de Frank Sinatra.

Sempre apaixonada pela cultura retrô, principalmente por carros antigos e caminhões, foi aos 18 que começou a aderir ao estilo e até a fazer performance burlesca. Mas, foi mesmo em 2017 que participou do seu primeiro concurso pin-up e já conquistando a faixa do Miss no ano seguinte.

Miss Pin-Up Sweet Valentina

Miss Hot Rods 2018 (Foto: Tainá Lossëhelin)

Miss Hot Rods 2018

Miss Pin-Up Sweet Valentina (Foto: Tainá Lossëhelin)

Como uma das premiações, o editorial produzido pelo The Pinup Project, dirigido por Gia RedHot e fotografado por Tainá Lossëhelin, com publicação aqui no Universo Retrô. O editorial é inspirado na musa brasileira Carmen Miranda, sai do tradicional Tutti Frutti Hat e traz plumas e dourado ao lado dos balangandãs. E o melhor, produção 100% nacional com elementos das marcas Cocktail Crafts, Criativa Retrô e Maison Fontainebleau. Confira:

Carmen Miranda

(Foto: Tainá Lossëhelin)

Universo Retrô – Nos fale sobre a sua relação com a cultura retrô.

Sweet Valentina – Pude perceber, depois de mais velha que meu encantamento pela estética de outras décadas já existia desde criança. Lembro-me de assistir seriados e filmes antigos com a minha mãe e ficar encantada com os penteados, as cores, as roupas, os carros e todo aquele visual. Meu favorito era Jeannie é um Gênio, amava a abertura (que inclusive ficava dançando) e seu jeito atrapalhado com seu Amo. Nem imaginava o que aquilo representava.

Mais tarde comecei a me encantar por carros antigos, um gosto que herdei do meu pai. No entanto, mesmo gostando de coisas vintage e retrô, não fazia ideia que existia toda uma cultura por trás e nem que existia um nome para tudo aquilo.

Meu primeiro contato com o termo “pin-up” foi aos 16 anos justamente com as ilustrações do Gil Elvgren. A estética já me era familiar, mas não compreendia o termo, muito menos que existia um mundo fora daquilo. Comecei a pesquisar e me envolver cada dia mais com o estilo, cheguei a ter um blog  e dentre os meus assuntos favoritos, o vintage e retrô estava em primeiro lugar.

Carmen Miranda

(Foto: Tainá Lossëhelin)

Aos 18 anos, comecei a me produzir “oficialmente” como pin-up e posar para os primeiros ensaios. Era tudo muito poá e vermelho, clássicos e clichês. Conforme fui me aprofundando, comecei trazer para minha vida tudo que envolvia esse estilo de vida, desde as tatuagens á decoração do meu quarto.

Como também sou bailarina, levei o estilo retrô para essa área da minha vida também. Além de me apaixonar pelos musicais, conheci com as minhas pesquisas a dança burlesca. Então vi que estava tudo linkado e que não teria para onde fugir.

Em 2012 fiz minha primeira performance burlesca em uma convenção de tatuagem que aconteceu em Ribeirão Preto, mas minha história faz uma pausa longa bem ai… No mesmo ano, me mudei para São Paulo e mesmo muito certa dos meus gostos, comecei a me afastar de tudo devido a problemas psicológicos. Retornei só em 2017 quando participei do Miss Pin Up The Sailor.

Mas apesar de distante, nunca abandonei por completo o estilo. Minha casa continuava a ser decorada por objetos retrô, continuava a ter preferência por roupas mais “pin-ups”, meus “projetos” continuam com carinha de antigo e tudo estava ali, dentro de mim, esperando para voltar. E agora estou aqui.

Carmen Miranda

(Foto: Tainá Lossëhelin)

Universo Retrô – Depois de participar de alguns concursos, você finalmente subiu no pódio no Miss Hot Rods. Como foi essa experiência?

Sweet Valentina – Concursos são sempre assustadores pra mim (risos). Quando participei do primeiro em 2017, estava A-PA-VO-RA-DA. Tinha certeza que viraria meme de internet. Meu maior medo era falar sobre assuntos relacionados a cultura vintage e retrô em frente as maiores referência da cena. Tamanho era meu nervoso que, mesmo ao lado do microfone, não o via e precisei ser orientada pelo apresentador para conseguir achá-lo. Mas a experiência foi incrível e colhi lindos frutos desse concurso.

Já no Miss Hot Rods Brasil estava menos nervosa, acredito que devido a experiência já adquirida. Mas nenhuma experiência poderia diminuir a intensidade dos acontecimentos. Juntou a loucura de produzir tudo a tempo do concurso, com a adrenalina dos dias de competição, com mais toda a repercussão do pós concurso e resultou em uma criatura fora de órbita. Bem verdade que precisei de uns dias para me recuperar, mas faria tudo novamente, nada como ter a satisfação do dever cumprido, do idealizado ali concretizado e da valorização do nosso suado trabalho.

Carmen Miranda

(Foto: Tainá Lossëhelin)

Universo Retrô – Qual a responsabilidade de carregar a faixa de Miss?

Sweet Valentina – Acho que a “responsabilidade” quem faz somos nós. Não acredito que exista um protocolo a ser seguido, muito menos que “temos” que ser assim ou assado. Acho que essa responsabilidade fica a critério da pessoa. Como a pessoa deseja usar essa visibilidade? Como ela deseja ser notada? Qual responsabilidade ela acha que carrega?

Felizmente tenho uma visão bem clara sobre como aproveitar essa visibilidade e qual é a minha responsabilidade nessa história. Ao final de tudo, só espero poder analisar minhas ações e concluir que acrescentei, mesmo que minimamente, algo bom nessa vida.

Carmen Miranda

(Foto: Tainá Lossëhelin)

Universo Retrô – Ao ganhar o concurso, você relatou que estava passando por um período difícil. O concurso foi uma forma de superar essa fase?

Sweet Valentina – Sem dúvida! Vinha de um ano muito difícil. Aconteceram mudanças drásticas em todos os setores da minha vida e junto vieram muitos problemas. Me arrastava por 2018 implorando para que ele terminasse, pois não via como algo bom acontecer naquele ano. O concurso surgiu para que eu pudesse provar a mim mesma o quanto era capaz, o quanto ainda sabia fazer muita coisa boa e que eu não era aquela inútil despedaçada que acreditava ser.

Mas é importante lembrar que, jamais teria chegado lá sozinha. Tive uma super ajuda da minha amiga maravilhosa Red Maddox, que foi como uma fada madrinha. Me ajudou nos momentos de crise, nos perrengues com o transporte público e com toda a parte glamourosa também, porque não somos obrigadas. O concurso foi a oportunidade que precisava para voltar a acreditar em mim.

Carmen Miranda

(Foto: Tainá Lossëhelin)

Universo Retrô – Qual seu desafio para seguir e manter o estilo retrô?

Sweet Valentina – Assim como muitas meninas, meu maior desafio é trazer o estilo para o meu dia a dia sem atrapalhar minha funcionalidade. Sou uma pessoa muito prática e gosto de sair de casa rápido, por isso prefiro investir em peças que não demandem grandes produções. Apesar de amar sair montada, tenho bastante dificuldade no dia a dia, mas estou sempre me inspirando em outras pin-ups que dominam mais essa área fashion e acabo aprendendo muita coisa legal.

Prezo muito pelo conforto para trabalhar e nada que me deixe desconfortável ou que atrapalhe meu trabalho, vale minha atenção. Por isso, busco adaptar peças com tecidos mais agradáveis com modelagens mais vintage. E se eu pudesse escolher uma peça de roupa que me deixa confortável e com carinha de pin-up, eu escolheria sem dúvida o vestido.

Carmen Miranda

(Foto: Tainá Lossëhelin)

Universo Retrô – Nos conte sobre a inspiração de Carmen Miranda para esse editorial.

Sweet Valentina – A Carmen Miranda é uma grande inspiração. Confesso que meu apreço pelo seu trabalho só se deu após entender melhor sua grandiosidade artística. Ela é referência em estilo, simpatia, conteúdo, sucesso profissional, música, dança… Uma artista completa, e possivelmente, escreveria linhas e mais linhas e não diria nada perto do que ela realmente representa.

Indico, inclusive, para as pin-ups brasileiras que ainda não assistiram, que assistam todo os filmes e performances dessa artista incrível. É um ensopadinho de inspiração.

Carmen Miranda

(Foto: Tainá Lossëhelin)

O primeiro foi realizado no mercado Municipal de São Paulo com meus amigos e irmãos Felipe e Pamela Pereira, com produção e beleza por mim. O segundo é este que estou tendo a honra de mostrar pra vocês e foi um convite da Gia Red do The PinUp Project. Quando a Karla apresentou a ideia, não pensei duas vezes.

A ideia era trazer toda exuberância e carisma da nossa pequena notável fugindo do tradicional Tutti-Frutti Hat, por isso, optamos por uma produção toda em dourado. Foi um trabalho feito em conjunto e estamos bem orgulhosas dele. Também me inspirei na Carmen em outras produções que renderam lindas selfies.

Pin-Up Sweet Valentina como Carmen Miranda

(Foto: Tainá Lossëhelin)

Universo Retrô – Quais são suas influências para manter o estilo?

Sweet Valentina – Felizmente, temos muitas mulheres incríveis, empoderadas e que estão fazendo um trabalho lindo por aqui. Tenho muito orgulho da dedicação e comprometimento que tenho visto entre as meninas. Com isso, nunca foi tão difícil falar de influencias no estilo, já que hoje muitas meninas agregam um pouquinho na composição do meu.

Tenho aqui no meu coração como minhas primeiras e maiores influências, a Juliana Boiger, a Cinthia Isabel e a Juliana Lourenço. Admiro muito o belíssimo trabalho delas e desde sempre foram minhas maiores inspirações.

Outras pin ups eu fui conhecendo conforme me aventurava por esse mundo. Fiquei encantada pela Mahara Alberttoni, inclusive seus tutoriais de penteados me ajudaram muito! Tive o prazer de ver de perto toda a beleza e elegância da @vindadealdebaran e aprender muito com ela; criei uma amizade linda com a doçura da @misslolapinup; falei muito de gatos e dei muitas risadas com a poderosa @gildabruna.

Me identifiquei totalmente com a gatíssima @pinupeleonorvolare graças a nossas origens; fico passada com a beleza e inteligência da @barbiedolixao; não tenho nunca palavras para elogiar o trabalho da @lucillebercejazz; e me aproximei graças a @redmaddox_ da @daanymoon que é uma amiga cuidadosa e incentivadora, dona do melhor delineado que já vi na vida.

É claro que existem muitas outras mulheres incríveis que me influenciam, e não só pelo estilo, mas pelo posicionamento, pelo respeito, e por tudo que são e realmente representam.

Editorial Carmen Miranda

(Foto: Tainá Lossëhelin)

Universo Retrô – Como você pensa em se envolver ainda mais com a cultura retrô

Sweet Valentina – Acredito que quando estamos inseridos em um contexto, como no caso toda a cultura retrô, as coisas vão acontecendo naturalmente. Muitas oportunidades estão surgindo, projetos pessoais que estavam parados começaram a andar, parcerias novas também começaram a surgir.

Dessa forma vou me aprofundando e me envolvendo cada vez mais com esse universo, só que a meu modo, com um passo de cada vez. Pois hoje prezo muito mais o “ser” do que o “parecer”. Espero, inclusive, poder ajudar outras pessoas me utilizando do retrô como ferramenta. É algo que ainda não está claro mas está em construção. Pretendo voltar aos palcos também e sem dúvida o retrô estará muito presente. Por fim, tenho muitos anseios, mas por hora prefiro aproveitar o momento.

Miss Pin-Up Sweet Valentina

(Foto: Tainá Lossëhelin)

Ficha técnica

Ensaio Carmen Miranda
Produção: The Pinup Project
Fotografia: Tainá Lössehelin
Beleza: Karla Stevanatto (Gia RedHot)
Top: Criativa Retrô
Acessórios e saia: Acervo pessoal
Arranjo de cabeça e colares: Maison Fontainebleau
Brincos: Cocktail Crafts

Ensaio Miss Hot Rods
Produção: The Pinup Project
Fotografia: Tainá Lössehelin
Beleza: Karla Stevanatto (Gia RedHot)
Figurino e acessórios: Acervo pessoal

ENTRE NO RITMO DO CARNAVAL

Ouça nossa playlist Bailinho de Carnaval no Spotify:

Matérias Relacionadas
Pin-Up com cachorro
Com seu estilo “customizado”, Paola Cristine é a Pin-Up do Mês no site
Estilo Pin-Up Tiki
Ensaio Tiki é tema do primeiro Pin-Up do Mês do ano com Madame Rose’n’Roll
Pin-Up Taco de Baseball
Com olhar esportivo, baseball é a temática do Pin-Up do Mês com Miss Salty
Murder Queen
Em clima de Halloween, Murder Queen traz seu estilo horror para o Pin-Up do Mês de Outubro

Deixe um comentário

quinze + doze =