Home > Destaque > Sweet Caroline é a pin-up do mês com o ensaio ‘Tempestade Tropical’

Sweet Caroline é a pin-up do mês com o ensaio ‘Tempestade Tropical’

7 de março de 2017, por Daise Alves
Moda

Como de costume, mensalmente, apresentamos a Pin-Up do Mês do Universo Retrô, que ganha destaque no sibebar do site e um editorial completo, com entrevista exclusiva. Quem vem representando o mês de março é a pin-up Ana Carolina Rogato, também conhecida como Sweet Caroline.

Amante do retrô e apaixonada por Elvis Presley, ela, que é uma das organizadoras do Desfile de Pin-Ups do Jantar de 50 anos da Gang Elvis, brilha no mês da mulher com o ensaio Tempestade Tropical, clicado por Ricardo Biserra, no Aeroclube de São Paulo, no Campo de Marte.

Vestindo um conjunto de saia e top florido, costurados pela própria Ana, a bela do mês modela ao lado de um Diamond Eclipse, fazendo referência à Nose Art – aviões personalizados com ilustrações de mulheres, muito usados na Segunda Guerra Mundial.

Para conhecê-la melhor, veja o editoral completo abaixo, mais entrevista em que fala sobre sua paixão pelo rei, pela cultura vintage e sua relação familiar com Ada Rogato, conhecida por ser uma pioneira da aviação brasileira.

Foto: Ricardo Biserra

Foto: Ricardo Biserra

Universo Retrô – Você é uma grande fã de Elvis Presley. Como surgiu esse fascínio pelo cantor?

Ana Carolina – Eu Tinha 7 anos de idade quando tive meu primeiro contato com Elvis, lembro que meu pai alugou um VHS de uma animação que estava em lançamento, LiLo e Stitch; a trilha sonora deste filme é composta com músicas de Elvis e Lilo é muito fã do rei. Ela apresenta Elvis ao alienígena Stitch, e eu fiquei fascinada com as músicas que tocavam no filme, lembro de esconder o VHS para meu pai não devolver à locadora. Por fim, meu pai acabou dando um VHS de presente pra mim, lembro de assistir todos os dias o mesmo filme.

Universo Retrô – Sua paixão por Elvis fez com que você se apaixonasse por tudo que envolve a cultura retrô, ou gostar da cultura retrô fez você gostar de Elvis?

Ana Carolina – Eu acredito que uma coisa levou à outra, sei que cada vez que conheço mais essa cultura mais quero me aprofundar e me envolver nisso; é notório isso em mim, depois de conhecer o Rei, me pegava fazendo perguntas como: “Que época foi essa onde tudo era melhor? E porque se findou?”, claro que é questão de gosto individual (risos), mais essa é a minha visão.

Foto: Ricardo Biserra

Foto: Ricardo Biserra

Universo Retrô – Por ser fã do cantor, recentemente você foi convidada para organizar um desfile de pin-ups dedicado ao rei, no jantar comemorativo de 50 anos da Gang Elvis. Como estão os preparativos?

Ana Carolina – Uau, privilegiada é como me sinto! Representar exatamente o que eu vivo e o que tenho como referência é fantástico, estou fazendo com muito amor e dedicação, está ficando tudo muito lindo e especial, a produção está se dedicando muito. A figura da pin-up esteve presente na vida de Elvis, basta olhar os filmes que ele estrelou com atrizes que são referências para muitas outras garotas como Barbara Éden, Ann-Margret, Lola Albright, Juliet Prowse, entre outras, garanto que vai ser lindo.

Universo Retrô – O que você mais gosta em Elvis?

Ana Carolina – Como sempre digo, “quando se trata de Elvis é impossível não ser tudo”. Mas, depois de ler sobre ele e conversar com amigos sobre Elvis, eu percebi que, além de um homem lindo e talentoso, era muito solidário, gostava de ajudar. Ele já deu dinheiro, casa, carro, jóias e outras coisas para fãs e amigos. Se ele conversava com alguém que estava com problemas, ele tomava as dores e resolvia. Meu Rei era demais!

Foto: Ricardo Biserra

Foto: Ricardo Biserra

Universo Retrô – Atualmente você tem modelado para algumas marcas retrô. Como começaram a surgir as primeiras oportunidades?

Ana Carolina – Essas oportunidades surgiram depois de participar do concurso Miss À Moda Antiga, foi muito importante e especial para mim. De repente trabalhos como modelo surgiram, e eu fiquei muito feliz, aliás, estou mostrando para as pessoas aquilo que carrego na minha vida. Infelizmente não ganhei o Concurso AMA, mais ganhei admiração de muitas pessoas e isso para mim é ter um trabalho bem feito.

Foto: Ricardo Biserra

Foto: Ricardo Biserra

Universo Retrô – O que há motiva a participar de concursos de beleza como o Miss À Moda Antiga?

Ana Carolina –  Por muitas vezes passamos despercebidas com nossa cultura, e uma coisa que a pin-up carrega é elegância e sensualidade. Nos concursos conseguimos mostrar isso e o melhor de nós, mostrar que somos capazes de brilhar, e de ser uma Miss sem esse padrão de beleza atual, mostrar que podemos ser lindas como somos, além de poder mostrar esse estilo que tanto amo e vivo.

Foto: Ricardo Biserra

Foto: Ricardo Biserra

Universo Retrô – Dentro da estética pin-up, com qual estilo você mais se identifica?

Ana Carolina –  Classic Holywood e Bombshell, são os estilos que me confortam mais. Como não querer ser uma Marilyn com um toque de Carmen Miranda? (risos). A elegância está nos traços desses estilos, e uma coisa que esforço é ser elegante e sexy, sem ser vulgar,  misturar cores também é um forte para as bombshells, e se tem algo que eu gosto é misturar cores.

Foto: Ricardo Biserra

Foto: Ricardo Biserra

Universo Retrô – Além de amar Elvis Presley e gostar do estilo pin-up, quais as outras formas que a cultura vintage está inserida na sua vida?

Ana Carolina – Meu amor por música, por danças, por carros, por móveis de época, por casas… o vintage está realmente inserido em minha vida de uma forma linda, a música é o que mais me move, é natural da minha pessoa gostar e amar cantar canções como At Last e Georgia on My Mind.

Na cozinha também me cativa a culinária, depois que aprendi a fazer o bolo Red Velvet comecei a explorar mais esse lado e confesso que venho me surpreendendo. Também gosto de corte e costura, costuro desde os sete anos de idade, minha mãe me passou seu dom, e sou grata a ela por isso, adoro ver o resultado final das minhas confecções.

Foto: Ricardo Biserra

Foto: Ricardo Biserra

Universo Retrô – Ada Rogato é conhecida por ser uma pioneira na aviação. Qual seu vínculo com ela? Você conhece sua história para nos contar um pouco?

Ana Carolina –  E com prazer! Segundo minha árvore genealógica, Ada Leda Rogato era prima de meu bisavô Amadeu Rogato e, segundo ele, ela gostava de voar pelos sítios da família no interior de São Paulo. Ela foi a primeira mulher a fazer o que homens naquela época já dominavam. Um verdadeiro orgulho para nós, mulheres, foi a primeira a obter licença como paraquedista, a primeira volovelista (piloto de Planador) e a terceira a receber o brevê de piloto. Ela se destacou também em suas acrobacias aéreas e foi a primeira piloto agrícola do país.

Ada era filha de Maria Rosa Greco e Guglielmo Rogato, que foi pioneiro do cinema em Alagoas, Maceió – talvez aí esteja minha paixão por cinema também. Após a separação de seus pais, ela mudou-se para São Paulo com sua mãe e, por conta de seus trabalhos artesanais, conseguiu dinheiro para realizar o sonho de voar. Em 1935, tirou o primeiro brevê feminino de voo a vela; no ano seguinte, conseguiu a primeira licença concedida a uma mulher pelo Aeroclube de São Paulo para pilotar um avião; e em 1941, foi a primeira brasileira a conseguir um certificado com curso de paraquedista feito no Campo de Marte.

Ada morreu em São Paulo, em 1986, aos 76 anos – antes mesmo de eu nascer. Seu corpo foi velado no Museu da Aeronáutica e o cortejo foi acompanhado pela Esquadrilha da Fumaça, o mesmo grupo que convidou as Pin-Ups do Universo Retrô a posar ao lado das aeronaves. Imagine, para mim, ser fotografada ali? Ada, com certeza, é o orgulho de nossa família, e tenho prazer em carregar o sobrenome Rogato, quando me lembro de que Ada foi uma mulher de muita força, coragem e bastante sonhadora.

Foto: Ricardo Biserra

Foto: Ricardo Biserra

Universo Retrô – Como você enxerga a cena vintage hoje?

Ana Carolina – Seria muito bom se a cultura vintage se expandisse mais, então eu trouxe isso para minha vida. Claro que o meu gosto pelo vintage ajudou muito, mas quero que as pessoas vejam e entendam que é uma cultura e que deve ser respeitada e valorizada, são nossas raízes, tem história, tem marco, tem referências e elas não podem ser esquecidas e devem ser lembradas com muita valorização da imagem. Fico muito feliz quando vejo pessoas trazendo isso pra vida como eu.

Foto: Ricardo Biserra

Foto: Ricardo Biserra

Para conhecer ainda mais a nossa pin-up do mês, é só acompanhar seu perfil no Instagram @pinupsweetcaroline.

Aproveite para ouvir a trilha sonora desse editorial na playlist homônima no Spotify.

Matérias Relacionadas
Editora do Universo Retrô, Miss Daisy é a Pin-Up do mês de agosto do site
Pin-Up Miss De-Lovely
Editora do Universo Retrô, Miss De-Lovely é a Pin-Up do Mês no aniversário do site
Miss Belle
Miss Belle é a primeira Pin-Up do Mês do editorial Sky Lovers, clicado por Daniela Petrucci
Conheça Bruna Gilda, pin-up do mês de maio no editorial ‘Tempestade Tropical’

Deixe um comentário

16 + 20 =