Home > Design > Yamaha é mais nova marca que adere a volta dos discos de vinil

Yamaha é mais nova marca que adere a volta dos discos de vinil

16 de outubro de 2018, por Leila Benedetti
Design
Móvel de sala retrô

Desde 2009 que os toca discos e, óbvio, os vinis estão voltando ao mercado e cada vez mais retomando o seu auge. De início, era somente para burlar a pirataria, agora, com o seu ar simpático e nostálgico, serve também para dar um clima retrô e cult aos lares de quem ama uma boa música, sem contar que seu som analógico é considerado muito superior ao som digital por muitos profissionais em áudio.

Além de marcas como Crosley e Echo Vintage, que estão voltadas exclusivamente para a junção do design retrô com a tecnologia atual, marcas consagradas como Sony, Pioneer e Panasonic também aderiram ao retorno dos “bolachões”, porém fabricando toca-discos com visual moderno e recursos mais elaborados, sendo alguns próprios para DJs, outros profissionais no ramo de áudio ou até mesmo amantes de uma boa sonora.

A marca Yamaha, que é mais famosa por fabricar motos e instrumentos musicais, poucos sabem, tem a sua linha de áudio e vídeo para a casa e já se aventurou no ramo dos toca-discos entre o final da década de 1960 e o final da década de 1980, quando se popularizou os CDs. À partir daí, a fábrica continuou apenas com a fabricação de seus receivers e, mais adiante, passou a produzir aparelhos de home theater e amplificadores de som bluetooth.

Agora, mais precisamente no mês de setembro deste ano, a própria lançou seus primeiros modelos de toca-discos no mercado depois de 30 anos, todos, assim como as três consagradas citadas acima, com design moderno, som impecável e com recursos tecnológicos de ponta, sendo um deles que o diferencia de outras marcas, o wireless.

Por enquanto são três modelos, o TT-S303, o MusicCast VINYL 500 e o GT-5000. O primeiro a ser lançado foi o TT-S303, cuja rotação funciona por meio de belt-drive e seu preço é mais acessível que os outros dois modelos, mas mesmo assim é um tanto salgado, custando 450 dólares.

Yamaha TT-S303

Yamaha TT-S303, o modelo mais básico e mais acessível da marca, apesar do preço elevado. (Foto: Divulgação/Yamaha)

Em seguida, foi lançado o MusicCast VINYL 500, em que o design é o mesmo, porém é um pouco mais avançado que o anterior. Além da possibilidade de conectá-lo a um amplificador convencional por meio de cabos, este modelo permite também que seja conectado via wireless a amplificadores que aceitem o recurso.

Munido com as tecnologias wi-fi, Bluetooth e AirPlay da Apple, o toca-discos vem acompanhado de um app próprio para tablets e smartphones, onde o usuário pode controlar algumas de suas funcionalidades. Este custa 700 dólares.

 

Toca-disco Yamaha

Yamaha MusicCast VINYL 500 que permite se conectar via wireless a um amplificador com o mesmo recurso, e ainda vem com um app para controlar algumas de suas funcionalidades. (Foto: Divulgação/Yamaha)

 

E o mais novo é o GT-5000, sua principal característica é o seu gabinete pesado e robusto. Para se ter uma ideia, somente o seu prato de alumínio pesa 5 quilos, mas apesar do seu peso e tamanho, o toca-discos mantém a sua elegância com o seu acabamento “Black Piano”, como a própria Yamaha denomina.

A sua rotação funciona por meio de um belt-drive customizado que promete reduzir interferências no som e seu preço é o mais elevado entre os três por ser mais resistente aos testes de tempo. Por ser um lançamento muito recente, a Yamaha ainda não divulgou o preço deste último modelo em seu site oficial.

Yamaha GT-5000

Yamaha GT-5000 e seu design robusto, pesando 25 quilos no total. É o toca-discos mais caro da marca. (Foto: Divulgação/Yamaha)

Os toca-discos da Yamaha ainda não chegaram ao Brasil. O modelo TT-S303 e o MusicCast VINYL foram lançados nos Estados Unidos e o GT-5000 no Reino Unido.

Matérias Relacionadas
Conheça a Vitrolaria, uma lojinha especializada em vendas de toca discos antigos
Casarão do Vinil é eleito um dos 30 melhores passeios alternativos em São Paulo
Quatro lojas de discos que também são bares e cafés em São Paulo
fnac
Áreas dedicadas ao vinil são abertas em lojas Fnac do Rio de Janeiro e São Paulo

Deixe um comentário

dezesseis − 4 =