Home > Destaque > Veja as referências da cultura pop que influenciaram bandas de psychobilly

Veja as referências da cultura pop que influenciaram bandas de psychobilly

6 de abril de 2019, por Marcial Balbás
Música
O Retorno dos Mortos Vivos

Há gente que defina o psychobilly como “rock de nerd”. E isso é fato! Mais que qualquer outro estilo musical vinculado ao punk, o psychobilly sempre bebeu muito da fonte; não só do terror, mas de todo universo de cinema, quadrinhos e literatura fantástica. Dos clássicos do horror ao cinema gore, passando pela ficção científica e super-heróis, segue aqui uma “pequena” lista de algumas interessantes referências!

1) THE METEORS – HILL HAVE EYES:

Autoproclamados padrinhos e reis do psychobilly, o The Meteors talvez seja das bandas com mais referências cinematográficas. Para essa lista resolvi citar a música homônima do filme do diretor Wes Craven, de 1977, The Hill Have Eyes. Lançado no Brasil sob o nome de Quadrilha de Sádicos. No filme, família se perde na estrada, no meio do deserto de Nevada, e é atacada por canibais deformados. Teve uma refilmagem em 2006, de mesmo nome, porém, lançada no Brasil como Viagem Maldita.

The Meteors

2) GUITAR DEMONS – PSYCHO O RAMA

O Gutter Demons é uma banda canadense do Quebéc, formada no começo dos anos 2000. Sem dúvida a maior banda de psychobilly da região francófona canadense. Sem grandes referências cinematográficas, porém, com letras inspiradíssimas sobre violência, morte e serial killers. A música em si não traz nenhuma referência, porém há uma vinhetinha no começo: “There have been two murders now. That maniac is gonna kill again!”

Essa é uma fala do filme espanhol Mil gritos tiene la noche, lançado nos países de fala inglesa sob o nome de Pieces, e aqui no Brasil como O Terror da Serra-Elétrica – provavelmente tentando pegar alguma carona no sucesso de O Massacre da Serra-Elétrica. O filme é um ótimo “slasher”, filmes no qual um assassino misterioso vai dizimando o elenco até ser apanhado (ou não!) pelo personagem principal, ou único sobrevivente da trama.

Gutter Demons - Psycho O Rama

3) OS CATELEPTICOS – CANNIBAL HOLOCAUST

Os Catalépticos, de Curitiba (PR), são o maior nome do psychobilly brasileiro mundo afora. Primeira banda brasileira do estilo a tocar fora do país e motivo de orgulho de muitos psychos brasileiros. São também um dos maiores nomes quando o assunto é “power-psycho”, estilo de psychobilly mais rápido e pesado, que ganhou força nos anos 90. Após 10 anos de existência encerram atividades em 2006, para voltarem 11 anos depois, em 2017.

A música Cannibal Holocaust abre o primeiro disco da banda, Little Bits of Insanity, de 1998. Óbvia referência ao polêmico filme italiano homônimo de 1980, do diretor Ruggero Deodato. Equipe de documentaristas sai à procura de tribos canibais na Amazônia, sem escrúpulos e sem respeito ao ambiente que os cercam, são perseguidos e dizimados pelos nativos. Filme que introduziu no horror o conceito “found footage“, filmado pelos próprios protagonistas. Posteriormente popularizado pelo filme A Bruxa de Blair, de 1999.

Os Catalepticos - Cannibal Holocaust

4) RAWHEADS – PUMPKINHEAD

Temos uma tripla referência aqui? É isso mesmo produção? Rawheads é uma banda alemã dos anos 90, não tão popular quanto outras da mesma época, porém muito interessante. O nome da banda vem provavelmente de uma lenda irlandesa, o chamado Rawhead é uma espécia de bicho-papão irlandês.

A música faz referência ao filme de terror americano, Pumpkinhead, de 1988. Lançado em VHS no Brasil sob o nome A Vingança do Diabo, e posteriormente em DVD como Sangue Demoníaco. Homem busca vingança pela morte do filho invocando demônio, que sai do controle, e Ed, o próprio invocador, tenta detê-lo.

O começo da música também traz um divertido dialogo do clássico Blue Velvet, de 1986, do diretor David Lynch. “What kind of beer do you like?” “Heineken? Fuck that shit, Pabst Blue RIBBON!”

The Rawheads

5) STAGE FRITE – ISLAND OF LOST SOULS

O Stage Frite é uma pouco conhecida banda inglesa, surgida no ano de 1988. Tiverem vida curta, lançaram apenas um disco intitulado Island of Lost Souls, no qual aparece uma sensacional canção de mesmo nome. Island of Lost Souls é o nome da primeira adaptação cinematográfica de A Ilha do Dr.Moreau, de H.G. Wells, no ano de 1932.

Homem sobrevive a naufrágio, e vai parar em ilha controlada por um estranho cientista, este cercado de bizarras criaturas, meio humanas meio animais, criadas por ele mesmo. Teve dois remakes, um em 1977 e outro em 1996, ambos com o mesmo nome do livro; o de 1996, é inclusive, um dos últimos filmes do astro Marlon Brando.

O Stage Frite retornou aos palcos após um hiato de quase 30 anos e lançou um novo disco pelo selo inglês Diablo Records!

Stage Frite

6) NEKROMANTIX – RETURN OF THE LOVING DEAD

O primeiro álbum pelo selo americano Hellcat (de Tim Armstrong, do Rancid) dos dinamarqueses do Nekromantix é uma brincadeira com o nome do filme Return of the Living Dead, de 1985. Um clássico do chamado Terrir, filmes de horror tão escrachados que chegam ao ponto do ridículo, neste caso propositalmente.

Foi o primeiro filme de zumbis a introduzir o conceito de zumbis comedores de cérebros! A história é puro anos 80, com punks, góticos, rockeiros, malucos, sexo no cemitério, bastante sangue, e trilha sonora rock’n’roll com ótimas bandas como The Cramps, The Damned, Tall Boys (do ex-The Meteors, Nigel Lewis!), T.S.O.L. entre outras.

Esse foi o álbum mais vendido e bem distribuído do Nekromantix, saiu inclusive no Brasil pela Roadrunner em 2002!

NEKROMANTIX

7) MINESTOMPERS – TOXIC AVENGER

 O Minestompers é uma ótima banda da nova safra do psychobilly europeu! Com um diferencial importante, é das poucas bandas do gênero a usar o baixo-elétrico, ao invés do acústico. Vindos da cidade de Koln (Colônia) na Alemanha, tem um disco lançado pelo selo alemão Crazy Love Records.

A música é uma referência ao Toxic Avenger, insano filme da lendária produtora americana Troma. Na trama, o faxineiro Melvin, ao cair num tambor de lixo tóxico, se transforma numa espécie de anti-herói, o Vingador Tóxico. Gore extremo, tripas para todos os lados, recomendado para estômagos fortes! Toxic Avenger teve mais 3 continuações, e inclusive, uma série em desenho animado!

8) THE ARKHAMS – ROAD TO ARKHAM

 Resolvi citar o The Arkhams pela ótima dose de referências ao mestre da literatura de horror H.P. Lovecraft. A banda de Nova York foi das melhores coisas sob o rótulo psychobilly da segunda metade da década de 2000. As artes inspiradíssimas sempre trazendo alguma menção ao universo de horror cósmico de Lovecraft.

O The Arkhams sofreu uma triste perda em 2017, com a morte de seu segundo guitarrista, Johnny Beernuts. Outro fato interessante da banda é que foram trilha sonora do jogo WET para PS3 e XBOX 360. Howard Phillips Lovecraft nasceu em 1890 e é talvez um dos mais celebrados escritores de horror da história; dentre seus temas favoritos estava o questionar do papel humano na imensidão do universo, e o olhar de seres malévolos de idade ancestral sob a nossa reles existência. Grande parte de suas histórias se passa na fictícia cidade de Arkham, daí a homenagem dos novaiorquinos.

O nome também foi utilizado a partir dos anos de 1970 nas histórias de Batman; Asilo Arkham, o manicômio para criminosos insanos. H.P. Lovecraft sempre foi um tanto inseguro com sua obra, teve pouco sucesso em vida, muitas das suas histórias só foram divulgadas após a sua morte. O nome de Lovecraft se popularizou muito nos anos de 1980 com jogos de RPG, e com a música Call of Ktulu do Metallica, do disco Ride The Lightning.

The Arkhams

9) RADIACS – HELLRAISER

Boa banda inglesa da segunda metade dos anos 1980. Som bem influenciado por rockabilly e rock’n’roll clássico. O primeiro disco do quarteto faz uma óbvia referência ao sucesso de 1987 do diretor e escritor Clive Barker, Hellraiser, inspirada em seu próprio livro The Hellbound Heart. Misteriosa caixa quebra-cabeça ao solucionada traz à tona seres malignos, os cenobitas, em busca de sangue e sofrimento humano. Teve diversas continuações e spin-offs.

Vale lembrar que o universo de Hellraiser também é um tema recorrente nas bandas de psychobilly. Os Cenobites da Holanda, por exemplo, são uma ótima banda do estilo “power psycho” e referência clara ao universo de Clive Barker. Após um hiato de quase 2 décadas, o Radiacs retornou aos palcos em 2010, com um divertido disco novo.

Radiacs

10) MONSTER KLUB – SANTA SANGRE

O Monster Klub foi uma ótima banda francesa, surgida no finalzinho da década de 90. Tinham como diferencial o uso do baixo elétrico no começo de sua trajetória, sendo substituído pelo acústico nos últimos 2 discos da banda. Praticamente todas suas músicas fazem referência à algum filme, seu vocalista e guitarrista, o talentoso cartunista Paskal Millet, é um viciado em filmes de baixo orçamento.

Paskal, além de ilustrar diversas capas de álbuns de bandas psycho, também lançou dois ótimos álbuns de quadrinhos e ilustrações, o Underground Zombies e o Monsters?. A música que escolhi é uma instrumental do primeiro disco, Welcome, de 1999. Uma referência ao filme de mesmo nome do diretor/escritor/poeta/quadrinista chileno (naturalizado francês) Alejandro Jodorowsky.

Como tudo feito por Jodorowsky de difícil descrição, fantasia misticofilosófica cheia de referências e mensagens subliminares. A obra de Jodorowsky é gigantesca, porém no circuito cinematográfico é bem lembrada pelos seus 2 filmes antecessores El Topo e Holy Mountain. O Monster Klub tocou no Brasil em 2006, no Hangar 110.

The Monster

11) SGT. FURY – CAUGHT IN A DREAM E.P.

Resolvi mencionar essa banda inglesa lado Z do psychobilly pela capa com a referência a um dos maiores clássicos dos quadrinhos, Watchmen, da dupla Alan Moore e Dave Gibbons. O nome da banda também é outra referência ao mundo dos comics, Sgt.Fury é um personagem da Marvel, criado por Jack Kirby e Stan Lee nos anos de 1960. O Sgt.Fury lançou apenas 2 EPs e 1 álbum, e depois caiu no esquecimento coletivo. Boa banda que merece ser redescoberta.

Sgt. Fury - Caught in a Dream E.P.

12) MAD SIN – REVENGE

Mad Sin é uma das mais populares bandas de psychobilly do mundo. O que foi ora um trio hoje em dia é as vezes até mesmo um sexteto. Com uma extensa discografia a banda de Berlin ainda continua na ativa por mais de 30 anos!

A música Revenge não traz grande referências, mas começa com um pequeno dialogo do filme Evil Dead 2 (lançado no Brasil como Uma Noite Alucinante 2) de 1987 do diretor Sam Raimi. “We are the things that were and shall be again.” Evil Dead teve mais 1 continuação, e uma série pela HBO. Sam Raimi ficou bem conhecido após dirigir os 3 primeiros filmes do Homem-Aranha. O disco que contém Revenge é o Survival of the Sickest, de 2002, lançado no Brasil pelo selo Barulho Records.

Mad Sin

Matérias Relacionadas
PiraPsycho 2018
2º edição do PiraPsycho mostra resistência do gênero psychobilly no interior da capital paulista
Draculla
Halloween: 10 filmes de terror para assistir na Oldflix
Dj
Conheça os DJs que irão discotecar na Halloween Vintage Party
Atração do Halloween Vintage, Voodoo Brothers disponibiliza álbum ‘Green Kahuna’ em versão online

Deixe um comentário

catorze + um =